A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

01/11/2016 20:59

Homem que pediu revisão de pensão alimentícia tem recurso negado

Nyelder Rodrigues

Foi negado de forma unânime pelos desembargadores da 2ª Câmara Cível do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) o recurso impetrado por um pai que queria rever a decisão judicial que determinava o pagamento de 50% do piso salarial como pensão alimentícia à filha, que tem oito anos.

Veja Mais
Mega-Sena acumula e prêmio para a próxima quarta sobe para R$ 6 milhões
Caravana das Prerrogativas da OAB visita o MS nos próximos dias 14 e 15

A alegação do autor é que ele está desempregado e também tem outra família, ficando sem condições de arcar com a quantia estipulada. Ele também argumenta que as despesas da menor não justificam a manutenção da pensão e que os dois genitores têm a obrigação de sustentar os filhos.

O autor da apelação seguiu explicando que, quando se separou, deixou a casa no nome da filha para que a edícula dos fundos pudesse ser alugada e o dinheiro da locação fosse usado para auxiliar nas despesas com alimentação, educação, vestuário e lazer da criança, e por isso, pediu revisão do valor.

Entretanto, no entendimento do relator do caso, o desembargador Marcos José de Brito Rodrigues, ficou comprovada a necessidade da pensão, haja vista que a menor tem oito anos e precisa de recursos para morar, se vestir, estudar, ter acesso à saúde e lazer, enfim, manter-se com dignidade.

Além disso, o magistrado afirma que também ficaram comprovadas as condições financeiras do apelante para custear tais despesas, e que o fato de ter transferido o imóvel para o nome da filha não isenta o pai da fixação de pensão alimentícia, tanto que na audiência ficou estabelecido o ato de transferência da casa e uma quantia a títulos de alimentos.

"Não restando comprovada a incapacidade do alimentante apenas pela cópia parcial da carteira de trabalho e estando claras as necessidades da alimentada, impõe-se a manutenção da verba alimentar fixada de forma razoável e proporcional. Sendo assim, nego provimento ao recurso", decidiu o relator, sendo seguido pelos outros desembargadores.

Mega-Sena acumula e prêmio para a próxima quarta sobe para R$ 6 milhões
Nenhum apostador acertou as seis dezenas sorteadas pela Mega-Sena na noite desta sábado (3) e o prêmio da principal loteria do país acumulou, podendo...
Caravana das Prerrogativas da OAB visita o MS nos próximos dias 14 e 15
Mato Grosso do Sul recebe nos dias 14 e 15 deste mês a Caravana Nacional das Prerrogativas, ação promovida pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e...
Governo publica lei que repassa encargos do Fies para universidades
Foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (02), a lei que modifica as regras de acesso ao Fies (Programa de Financiamento Estudantil...
Mega-Sena acumulada em R$ 3 milhões será sorteada neste sábado
A Mega-Sena acumulada em R$ 3 milhões, será sorteada no concurso 1.882, às 20h (horário de Brasília) deste sábado na cidade de São Gabriel da Palha, ...



50%??? Quer ver se um dia um desembargador destes vai concordar em ceder metade do seu salário como pensão!!! Absurdo! E o cara ainda deixou casa com edícula para ser alugada e reverter para a filha! E a mãe? Não tem que contribuir em nada não?
 
Augusto C.G.Galvão em 02/11/2016 11:15:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions