A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

25/07/2014 12:21

"Jaula" em delegacia é interditada pela OAB

Luciana Brazil
Presos eram amontoados na jaula sem banheiro. (Foto: Divulgação/ Sinpol)Presos eram amontoados na "jaula" sem banheiro. (Foto: Divulgação/ Sinpol)

A pequena cela, sem banheiro, na delegacia de São Gabriel do Oeste, a 140 quilômetros de Campo Grande, onde cinco presos ficaram detidos, foi interditada ontem (24) por uma Ação Civil Pública movida pela OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul) contra o Estado. Com o parecer favorável do MPE (Ministério Público Federal), a liminar ordena imediatamente a proibição do ingresso de novos detentos no local. A “jaula” foi flagrada e denunciada pelo presidente do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis), Alexandre Barbosa, no dia 14 de julho.

Veja Mais
OAB pede interdição de "jaula" usada para abrigar presos, que foram transferidos
Três presos de São Gabriel do Oeste serão transferidos hoje para Campo Grande

A Ação Civil cita a violação da integridade física e moral dos presos e a falta de cumprimento da Lei de Execuções Penais. A entidade informou ainda que a Comissão de Direitos Humanos da Instituição está acompanhando o caso e fará um levantamento de situações similares em todo Estado.

“Submeter presos a serem acomodados em 'jaulas' é uma violação brutal à dignidade humana”, disse o presidente da OAB/MS, Júlio Cesar Souza Rodrigues. Ele alertou que situações semelhantes serão combatidas incansavelmente pela Ordem. “É dever do Estado oferecer condições minimamente aceitáveis para acomodação dos detentos, provisórios ou definitivos, e que respeitem à dignidade humana”, completa.

Um vídeo gravado no local, mostrava as condições precárias em que os presos eram mantidos. A gravação também deixava evidente a sujeira e pequeno espaço, para apenas uma pessoa, onde cinco homens se amontoavam. Sem banheiro, os presos urinavam em garrafas já que não podiam sair das celas a todo instante.

Entre os criminosos, estavam dois homicidas, um homem preso por tráfico de drogas e outros dois detidos por furto qualificado. Segundo a polícia, todos foram transferidos para o Ptran (Presídio de Trânsito), em Campo Grande.

Em entrevista ao Campo Grande News, o delegado Fábio da Silva Magalhães, responsável pela delegacia, revelou que o problema é frequente por causa da falta de vagas no sistema penitenciário. A denúncia era de que alguns dos presos teriam sido mantidos por 20 dias no local, mas o delegado desmentiu a informação. “Eu estava de férias, mas sei que, com exceção de um preso, todos foram detidos na semana passada (entre os dias 7 e 13) . Um deles é que estava há mais tempo porque aguardava decisão da justiça”, disse à época. Os ofícios foram feitos de forma imediata, esclareceu.

Presídios- De acordo com a Sejusp (Secretária de Estado de Justiça e Segurança Publico), três novos presídios, que serão construídos na Gameleira, região sul de Campo Grande, serão entregues até 2015. Dois - um masculino com capacidade para 603 presos, e um feminino construído para 407 detentas - já estão em fase de construção. O terceiro, também masculino, para 603 internos, passa por licitações.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions