A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

21/04/2014 11:51

“Só Deus para salvar nós”, disse vítima a bombeiro após resgate em lago

Aline dos Santos

Das 18h de sábado a uma hora da madrugada de domingo à espera de socorro, os cinco ocupantes de duas embarcações que viraram durante vendaval no lago da usina Ségio Motta, em Bataguassu, foram encontrados assustados e gratos a Deus. O município fica a 335 km de Campo Grande.

Veja Mais
Policiais resgatam cinco após vendaval em lago da usina Sérgio Motta
Vereador é internado após AVC e boatos de morte causam confusão

“Estavam bem apavorados”, relata Paulo César da Silva, cabo do Corpo de Bombeiros. Ele conta que ouviu de uma das vítimas. “O senhor Paulo Correa disse: ‘Só Deus mesmo para salvar nós’”, recorda.

No grupo, proveniente de Santo André (São Paulo), estavam oito pessoas, divididas em três embarcações. Durante o vendaval, com ondas de ate quatro metros no rio Paraná, três pessoas ficaram em uma ilha, mas as outras cinco, em dois barcos, desapareceram.

Paulo Correa, 48 anos, Milson Brechani, 54 anos, Gustavo Henrique Brechani, 13 anos, Fabrício Ferraiolli Cortez, 34 anos, e Antônio Gilson de Brito, 48 anos, foram localizados em uma operação que envolveu os bombeiros de Bataguassu, a PMA (Polícia Militar Ambiental) e a Marinha, por meio da Delegacia Fluvial de Presidente Epitácio.

O grupo, todos de colete salva-vidas, ficou em uma parte mais rasa do lago. As vítimas estavam em boas condições de saúde, apesar de tanto tempo na água. Caso o vento forte persistisse, seria acionado o resgate aéreo.

De acordo com Paulo César, vendavais são comuns na região e quem conhece o local logo afasta os barcos para as margens. Segundo o cabo, foram duas horas de vento forte no último sábado. “O lago é perigoso e tem 12 km de um lado ao outro. Tem que usar motor de 40 para cima. Mas as pessoas vêm pescar com motor 15”, alerta.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions