A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

13/01/2015 09:07

Aberta há 25 dias, UPA utiliza pulseira para saber quem será atendido antes

Helio de Freitas, de Dourados
Pacientes recebem pulseira de cor correspondente à urgência no atendimento (Divulgação/A. Frota)Pacientes recebem pulseira de cor correspondente à urgência no atendimento (Divulgação/A. Frota)

Funcionando desde o dia 18 de dezembro, a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Dourados, a 233 km de Campo Grande, começou a utilizar o sistema de classificação de risco para agilizar a consulta de pacientes. A identificação é feita por pulseiras coloridas quando a pessoa da entrada na unidade, conforme determina portaria do Ministério da Saúde.

Veja Mais
Motorista embriagado atropela ciclista e foge sem prestar socorro
Rapaz foge de policial a paisana e abandona mochila com 18 kg de droga

De acordo com a Secretaria de Saúde do município, unidade de urgência e emergência tem fila de espera zero, porque o paciente chega e logo após preenchida a ficha de identificação é imediatamente encaminhado para a sala de “classificação de risco”, onde é atendido por um enfermeiro.

Além de identificar os pacientes prioritários, a pulseira facilita o trabalho da equipe de enfermagem e dos médicos. A pulseira verde representa que o paciente não corre risco de morte e pode ser atendido sem prioridade. O paciente identificado com a pulseira azul é aquele que nem deveria procurar a emergência, mas um posto de saúde na própria comunidade.

A pulseira amarela ou vermelha indica que o paciente necessita de atendimento de emergência ou de urgência, por isso tem preferência. Conforme a Secretaria de Saúde, esse paciente é imediatamente encaminhado para o médico, que faz uma avaliação e adota as providências necessárias.

Dependendo da necessidade, o paciente é transferido para um dos hospitais de referência da cidade. Se o caso for de oncologia, cardiologia ou UTI, é encaminhado ao Hospital Evangélico. Em caso de fraturas, o paciente é levado ao Hospital da Vida. Os casos de internações seguem para o Hospital Universitário ou Hospital da Sias, em Fátima do Sul, onde a prefeitura aluga leitos extras.

Quando a classificação indica risco baixo, como uma dor de cabeça, por exemplo, o paciente fica em observação na própria UPA até seu estado de saúde ser estabilizado. Após esse período o paciente recebe alta, é medicado e orientado a continuar com o tratamento na unidade de saúde do seu bairro.

Movimento – A Secretaria de Saúde de Dourados informou que o movimento na UPA 24 Horas, que atende também pacientes da região, tem grande rotatividade, mas não existe tumulto. De 18 de dezembro, quando a UPA foi ativada, até o dia 11 deste mês, foram feitos 6.606 atendimentos. Esse número inclui consultas médicas, medicação, suturas e curativos, transferência de pacientes, eletrocardiograma, raio-X, ultrassom e exames laboratoriais.

Motorista embriagado atropela ciclista e foge sem prestar socorro
Guinovaldo Aguiar Gama, de 53 anos, foi preso em flagrante depois de ter atropelado um ciclista na região central de Itaporã, 227 quilômetros de Camp...
Rapaz foge de policial a paisana e abandona mochila com 18 kg de droga
Homem fugiu deixando uma mochila com 18 quilos de maconha, depois de ser abordado esta manhã (10) por um policial a paisana na rodoviária de Ponta Po...
Marido agride mulher e tenta se enforcar em seguida, mas vai preso
Depois de agredir a esposa, de 45 anos, homem de 26, tentou se enforcar, mas acabou preso, esta noite (10) em Vicentina, a 255 quilômetros de Campo G...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions