A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

13/05/2011 18:07

Colisão anterior favoreceu abertura de vão em ponte de Corumbá

Fabiano Arruda

MPF instaurou inquérito para apurar acidente

Investimentos para obras de proteção na ponte podem chegar a R$ 8 milhões. (Foto: PRF)Investimentos para obras de proteção na ponte podem chegar a R$ 8 milhões. (Foto: PRF)

O MPF/MS (Ministério Público Federal de Mato Grosso do Sul) instaurou inquérito para apurar o acidente com uma embarcação paraguaia, na ponte da região de Morrinho, na BR-262 em Corumbá, e também o fato da Capitania dos Portos ter informado ao Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) sobre a ocorrência de um acidente, anterior ao de domingo, que já teria comprometido um dos dolfins.

A colisão anterior pode ter favorecido a abertura do vão, de cerca de 20 centímetros.

Segundo o MPF, o Dnit e a concessionária da ponte devem responder sobre a “ausência de estruturas de concreto para proteção nos pilares da ponte, destruído a partir de uma colisão anterior de embarcação, que teria sido noticiada aos órgãos responsáveis pela Capitania dos Portos, sem que medidas para solucionar o problema fossem tomadas”.

O inquérito apura possíveis prejuízos causados à região, cobra esclarecimentos do Dnit e da concessionária, que terão dez dias para responder, e questiona as medidas que estão sendo tomadas para sanar o dano e impedir que acidentes similares voltem a ocorrer.

Recursos - Os investimentos para a construção de um dolfin, caixa de concreto que protege a coluna da ponte, além da recuperação de outro, podem chegar a R$ 8 milhões, disse nesta sexta-feira o governador André Puccinelli (PMDB).

O governo do Estado publicou na edição do Diário Oficial de hoje decreto de emergência e informa que a recuperação é urgente, sob risco de interdição de no mínimo 8 meses do trajeto, caso não seja executado a obra necessária.

Acidente – No domingo (8), um empurrador de bandeira paraguaia que transportava 16 barcaças de farelo de soja bateu no pilar central da ponte, o que causou a interdição e isolou a região de Corumbá por horas, além de restringir o tráfego de veículos.

O incidente isolou a região de Corumbá por mais de 20 horas, já que a Estrada Parque, outra ligação ao município, também está interditada por conta da cheia na região do Pantanal.

O governador André Puccinelli esteve no local na terça-feira e participou de vistoria, acompanhado do superintendente regional do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Marcelo Miranda, e do engenheiro Vicente Garamboni.

A secretaria de Obras do Estado informou que aguarda resultado de inquérito instaurado pela Marinha para cobra punição para a empresa responsável pela embarcação.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions