A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

01/06/2011 09:59

"Açougue" vendia carne de animal silvestre a quilo em assentamento

Francisco Júnior

No local, os policiais da PMA encontraram um quati e uma capivara

Armas e carne congelada foram encontradas em casa do assentamento.Armas e carne congelada foram encontradas em casa do assentamento.

A prisão do caçador Edilson dos Santos Arouca, ontem em Sidrolândia, revela crime comum em assentamentos de Mato Grosso do Sul, avalia a Polícia Militar Ambiental.

Ele mantinha uma espécie de açougue, só com carne de animais silvestres. "Temos muita denúncia desse tipo, mas desta vez conseguimos flagrar o estoque", conta o capitão da PMA Edmilson Queiroz.

No local, os policiais encontraram em um freezer partes de um quati abatido e de uma capivara congelados.

Duas espingardas, uma de pressão e outra de calibre 22, também foram apreendidas no açougue, além de 116 munições. "A arma é registrada, é legal, mas para que a pessoas tinha tanta munição? Era para caçar", comenta o capitao

Os policiais encaminharam Edilson para a delegacia da Polícia Civil de Campo Grande. Ele foi atuado pelo crime ambiental e multado em R$ 1 mil pelo abate dos animais silvestres.

A PMA apurou que no local moradores do assentamento compravam a carne a quilo. "Quem quisesse ia até lá e comprava até quati", explica o capitão.

Perícia no quati apreendido mostrará se o animal foi atingido por tiros.

O dono negou o comércio, confirmou que matava os animais, mas disse que era para consumo próprio.

Segundo o capitão Queiroz, a carne de animais silvestres é caríssima quando produto de cativeiro. "O quilo da capivara chega a custar 80 reais". No entanto, a PMA não conseguiu descobrir quais os valores cobrados no asentamento.

Justiça determina instalação de rede de esgoto em Nova Alvorada do Sul
A Sanesul e a prefeitura de Nova Alvorada do Sul - cidade localizada a 120 km de Campo Grande - terão que criar no município rede coletora e estação ...
Médico nega que tenha abandonado pacientes e diz que foi autorizado a sair
O médico Carlos José da Costa Duran, de 41 anos, nega que tenha abandonado o plantão no hospital e maternidade Idimaque Paes Ferreira, o único em Rio...



esses policiais deveriam prender gente grande, como por exemplo a senhora rondom!!! que e uma vergonha nacional.. nao um pobre coitado que matou um quati para matar sua fome e de sua familia, ja que um kilo de carne e tao caro que pobre ainda mais assentados que nao tem renda, nao podem comprar.sei que e errado matar animais silvestres mais ja que e pra prender, tem muitos bacanas que tem que ir pra cadeia!!!! a começar dos nossos ilustres politicos sul matogrossenses....falei.
 
nestor bial em 01/06/2011 10:35:09
Só acho que ao invés dessa comoção geral por causa dos 'pobres' bihcinhos, deveria haver uma comoção maior por causa de pessoas... que morrem de fome... de maus tratos... etc, etc, etc! Nada contra os animais, muito pelo contrário! Só fico INDIGNADA quando vejo tanta repercussão... Aliás, se houvesse tanto abrigo de criança esparramado país afora quando há abrigo de bichos, com certeza o mundo seria BEEEEEM melhor!
 
Adriana Andrade em 01/06/2011 09:29:58
É de policiais como esses que precisamos para salvar nossa falna e flora !!
 
JOAQUIM DA SILVA DORNELLES em 01/06/2011 02:22:39
Tem que i pra cadeia mesmo matando animais pra vende.Parabens a PMA que é de grande competencia.
 
justo rodrigues em 01/06/2011 01:57:39
Infelizmente as pessoas possuem pensamentos diferentes, e interpretam os acontecimentos como quiserem, mas em relação ao comentário anterior, concordo que essa "ilustre" senhora rondon, teria que receber um apartamento na delegacia e infeitado com os tapetes dos animais que ela matou, para que ela olhasse e lembrasse sempre porque estava alí! Ou senão chamasse esses mesmos caçadores e soltassem ela na mata para que esperimentasse a sensação de ser caçada e ter a vida tirada em troca de dinheiro! Mas como nossas leis são falhas e somente DEUS tem o direito de dar e tirar a vida, deixe nossa justiça agir como deixam as leis, que se fomos analisa-las veremos que a maioria das leis possuem outras que deixam brechas para a impunidade. E em relação á esse cidadão preso por caçar animais silvestres, imaginem se as pessoas fossem caçar com a justificativa de matar a fome? isso se ele está falando a verdade mesmo, e se não é para vender! Ninguem morre de fome hj em dia, pois há várias maneiras de sobreviver com dignidade, e além do que ele tem um pedaço de chão que se ele for realmente trabalhar, não falta nada na mesa e no bolso dele!
 
nivaldo silva em 01/06/2011 01:35:46
Acho que ocorreu um lapso mental ao senhor Nestor. O fato de haver gente impune pelos crimes que cometem não justifica a impunidade de outros. Crime ambiental deve ser punido assim como qualquer outro crime. Além do mais, não cabe à polícia fazer juízo de valores, ou escolher que bandido deve investigar, para isso existe a justiça. O fato de se abater animal silvestre sem autorização constitui crime. Qual o fim dado à caça, ou quais as intenções do caçador somente qualifica o crime.
 
Rodrigo Correa em 01/06/2011 01:35:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions