A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Janeiro de 2017

23/11/2016 22:23

Acumulando prejuízos, caminhoneiros fazem protesto contra greve de auditores

Nyelder Rodrigues

Vários camioneiros protestaram contra a greve promovida pelos auditores fiscais da Receita Federal em Ponta Porã - cidade localizada a 322 km de Campo Grande. Lá, existe um porto seco onde a fila de caminhões é cada vez maior, assim como o prejuízo, que chega a casa de R$ 406,8 mil/dia.

Os auditores pedem melhorias salariais, como plano de carreira, entre outros. Contrários a essa manifestação, os motoristas de caminhão fecharam a saída do porto seco, impedindo a movimentação de mercadorias por completo. Antes, os servidores públicos estavam liberando a passagem de produtos perecíveis.

Diante do "contraprotesto" feito pelos camioneiros, os auditores fiscais afirmam que não vão recuar e manter a greve, e seguir liberando apenas mercadorias perecíveis. Não há posicionamento emitido pela Receita Federal sobre a situação.

Conforme análise do site Ponta Porã Informa, o montante perdido com os atrasos na entrega de mercadorias - há profissionais parados há mais de 20 dias no porto seco - é de R4 406,8 mil por dia, levando em consideração números da Fiems (Federação da Indústria do Estado de Mato Grosso do Sul) sobre a exportação regional.

Entre janeiro e outubro, foram exportados pelo Estado via Ponta Porã 60 mil toneladas em produtos, equivalente a US$ 24 milhões, ou seja, R$ 76,8 milhões. Assim, o cálculo divide o valor total por 200 dias úteis, chegando aos US$ 120 mil por dia - na conversão para real, R$ 406,8 mil.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions