A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

21/08/2015 19:18

Acusado alega que intenção era de conversar e não tentar matar bombeiro

Renata Volpe Haddad
Bombeiro levou cinco tiros de Elizeu, está internado na Santa Casa de Campo Grande, mas não corre risco de morte. (Foto: Reprodução/Facebook)Bombeiro levou cinco tiros de Elizeu, está internado na Santa Casa de Campo Grande, mas não corre risco de morte. (Foto: Reprodução/Facebook)

Acusado de dar cinco tiros no bombeiro Fabrício de Lima Teixeira, 26, Elizeu José dos Santos, 33, alegou em depoimento que apenas foi para conversar e não tinha intenção de matar o soldado. O caso aconteceu no dia 17 de agosto em Paranaíba, distante 422 km de Campo Grande.

Veja Mais
Acusado de dar cinco tiros em soldado do bombeiro se entrega à polícia
Garras reforça caçada a homem que feriu bombeiro ao socorrer estudante

Segundo o advogado do acusado, Wilmar Nunes Lopes, Elizeu prestou depoimento hoje (21) e alegou que não foi com intenção de matar, mesmo estando armado. "Ele tinha uma arma antiga e resolveu levar para conversar com Fabrício, pois ficou com receio do bombeiro estar armado e por ser mais alto e mais forte", explica.

Durante o interrogatório, o acusado afirmou que desconfiava que sua mulher estava tendo um caso com o bombeiro e que toda a cidade sabia do fato. "As pessoas tiravam sarro da cara do Elizeu que é conhecido por ter uma padaria na cidade. Ele sempre aguentava as gracinhas que as pessoas faziam, inclusive o bombeiro sempre que passava por ele, dava risada", comenta.

O acusado afirmou ao delegado que Fabrício não estava prestando socorro no momento do ocorrido, mas estava dirigindo a viatura. "Assim que a viatura passou em frente à padaria, Elizeu pegou a arma e foi atrás, quando o bombeiro estacionou, o acusado quis conversar com a vítima, momento em que Fabrício mexeu em alguma coisa dentro da viatura. Achando que era uma arma, Elizeu atirou e fugiu, sem saber quantos tiros havia disparado", informa o advogado.

Conforme o depoimento, após fugir, o acusado ficou vagando próximo ao rio Paranaíba e se escondeu em uma casa abandonada. Lopes ressalta que Elizeu ligou para família dois dias depois e resolveu se entregar. "Agora vou fazer o pedido de liberdade provisória para que ele possa responder o processo em liberdade, já que Elizeu não tem passagem nenhuma pela polícia", conclui.

De acordo com o delegado Francisco Antônio Moreira, que investiga o caso, o acusado foi encaminhado para o presídio de Paranaíba e confirmou que Elizeu e a mulher, viviam na mesma casa.

Entenda o caso -  O soldado do Corpo de Bombeiros, levou cinco tiros, sendo um deles na face, quando atendia uma ocorrência na Escola Municipal Major Francisco Faustino Dias, por volta das 17h, de segunda-feira (17), no Bairro Santo Antônio, em Paranaíba. O militar segue internado, mas os disparos não atingiram nenhum órgão letal.

O soldado e sua equipe chegaram à escola para atender um aluno. No momento em que colocavam o garoto dentro da viatura, um homem de 33 anos, que chegou em uma Honda Biz, disparou seis vezes contra o soldado, acertando cinco deles no militar. O outro tiro acertou a porta traseira da viatura.

A vítima sofreu um tiro na face, um no braço esquerdo, um no braço direito, um na região pélvica (região abaixo do abdômen) e um na região cervical.

O atirador fugiu do local. O soldado, que perdeu bastante sangue, foi socorrido por colegas de farda e levado à Santa Casa de Paranaíba.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions