A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

08/03/2012 16:34

Advogado alega que flagrante em funcionárias de Bonito foi armado

Wendell Reis

O advogado José Anezi de Oliveira informou que deve entrar com uma ação contra a denunciante e se possível contra a autoridade policial que prendeu três servidoras públicas no município de Bonito. As servidoras Maria Neuzi Vargas de Matos, Maria Rodrigues Sanches e Rita Conceição Machado Vargas Cossetin foram presas por suspeita de cobrança de consultas no SUS (Sistema Único de Saúde).

Veja Mais
Servidoras de Bonito suspeitas de vender serviços do SUS são liberadas
Polícia de Bonito prende homem acusado de matar a ex-mulher e a filha na Paraíba

Anezi alega que houve um exagero na ação da polícia e promete processo contra a denunciante e a autoridade policial. “Trata-se de um flagrante preparado pela autoridade policial, em conluio com a denunciante, devidamente orientada para produzir gravações não autorizadas pela Justiça que culminou na prisão das três servidoras”.

O advogado ressalta ainda que para caracterizar o delito de concussão, as funcionárias precisariam ter obtido vantagem financeira, o que afirma não ter ocorrido.

A secretária de Saúde do Município, Melissa Carolina Rodrigues, informou que vai enviar um ofício a secretária de Saúde do Estado, Beatriz Dobashi, para pedir apoio. Ela alega que o problema da saúde é nacional e a denúncia acabou atingindo todos os funcionários. A secretária pede ainda uma nota de repúdio contra o fato.

O Caso - As três funcionárias foram presas pela Polícia Civil suspeitas de cobrar por atendimentos do SUS. O delegado responsável, Roberto Gurgel Filho, não falou sobre o caso que, segundo ele, está em segredo de Justiça. Já o prefeito, José Arthur, não acredita em irregularidades e alega que a Agência de Regulação ajuda os pacientes, encaminhando aqueles que não querem esperar pelo atendimento do SUS, que geralmente é mais demorado. O prefeito afirma que os encaminhamentos são feitos a pedido dos pacientes e os mesmos pagam uma taxa social.

José Arthur criticou o trabalho policial, avaliando que há um exagero na ação. O prefeito alega que as funcionárias são de carreira, sem nada que desabone sua conduta, têm residência própria e são conhecidas no Município, o que não justificaria a permanência delas na delegacia desde ontem.




Denunciado, constatado e publicado, só isto é novidade. O que ocorre na saúde, e que não é só isso, não é. Que existem preferencias, boa vontade com uns e má vontade com outros, ou seja, que o cidadão não é tratado igualitariamente, que legisla-se para quem apoia e fica de fora quem ousa criticar, isso sempre ocorreu, independente de quem administre. Mas tem coisa muito pior. absurdos mesmo...
 
janice drummond em 09/03/2012 12:58:31
Senhor advogado,conforme assunto deste site, ao meu jeito acho que não se trata de flagrande preparado (sumula 145 STF) e sim flagrante retardado. Já no crime de concussão basta exigir para caracterizar o crime,não será necessário ter recebido vantagem nenhuma.
 
Amilton Almeida em 09/03/2012 07:06:53
Servidoras de Bonito suspeitas de vender serviços do SUS são liberadas
Já estão em liberdade, por meio de alvará de soltura, as três funcionárias da Prefeitura Municipal de Bonito que foram detidas ontem (7) pela Polícia...
Corpo é encontrado boiando em rio e suspeita é de que seja de trabalhador rural
Corpo de um homem foi encontrado por volta das 8h30 de hoje (6) boiando no rio São Lourenço, região da Ilha Alegre, em Corumbá - distante 419 Km de C...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions