A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

21/10/2015 16:35

Após 37 óbitos neste ano, MPF investiga mortes de bebês em maternidade do HU

Mariana Rodrigues
MPF (Ministério Público Federal) instaurou inquérito civil para investigar as mortes de bebês ocorridas no local. (Foto: Eliel Oliveira)MPF (Ministério Público Federal) instaurou inquérito civil para investigar as mortes de bebês ocorridas no local. (Foto: Eliel Oliveira)

Após várias denúncias envolvendo a maternidade do Hospital Universitário de Dourados - distante 233 km de Campo Grande, o MPF (Ministério Público Federal) instaurou inquérito civil para investigar as mortes de bebês ocorridas no local. Para iniciar a investigação, foi requisitado ao Conselho Municipal de Saúde do município que forneça cópia do áudio de uma reunião do conselho realizada em 21 de setembro de 2015.

Veja Mais
Mulher aborta gêmeos após procurar maternidade e atendimento demorar
Conselho de Saúde denuncia mortes de bebês em maternidade do HU

A investigação abrange mortes perinatais (óbitos fetais a partir de 154 dias de gestação) e neonatais precoces (na primeira semana de vida) ocorridas no hospital que integra o SUS (Sistema Único de Saúde).

De acordo com informações do MPF, o Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde deve informar, no período entre 2012 e 2015, o número de óbitos fetais e de mortes neonatais precoces ocorridos por ano, com a indicação das causas; o número total de nascidos vivos; a respectiva taxa de mortalidade perinatal. O Núcleo deve ainda, apresentar um comparativo da taxa de mortalidade perinatal do HU-UFGD com as taxas estadual, regional e nacional.

A origem da investigação foi por meio do Inquérito Civil n.º 29/2014, do MP-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), onde consta notícia de seis casos de mortes de perinatais ocorridas no HU - UFGD. Nota Técnica de 10 de fevereiro de 2015 da Rede Cegonha em MS, contesta a qualidade dos serviços prestados no hospital.

Somente este ano, segundo a mídia local, foram registrados oito óbitos fetais em janeiro, três em fevereiro, sete em março, três em abril, seis em maio, cinco em julho, três em agosto e dois em setembro, totalizando 37 mortes.

O HU-UFGD integra o SUS por força de convênio celebrado com o Município de Dourados por força do qual obrigou-se a “manter serviço de urgência e emergência, em funcionamento 24 horas por dia, nos sete dias da semana, nas especialidades de ginecologia e obstetrícia, bem como serviço de urgência referenciada na especialidade de neonatologia”.

O Campo Grande News já havia noticiado no mês de setembro algumas denúncias tanto na demora quanto na falta de atendimento, que supostamente teria resultado na morte dos bebês.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions