A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

07/12/2012 11:49

Apreendido no Paraguai adolescente que participou de ataque a pelotão da PM

Francisco Júnior e Nadyenka Castro
Roberto e Luan foram os primeiros envolvidos no ataque presos. (Foto: Nyelder Rodrigues)Roberto e Luan foram os primeiros envolvidos no ataque presos. (Foto: Nyelder Rodrigues)

Foi apreendido no Paraguai o adolescente de 17 anos suspeito de participar do ataque ao pelotão da PM no bairro Moreninhas, em Campo Grande, no dia 27 de novembro deste ano.

Veja Mais
Adolescente que se apresentou não tem relação com ataque, diz delegado
Adolescente suspeito de ataque a prédio da PM se entrega à Polícia

A apreensão foi feita por policiais do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) na noite de ontem (6), na área rural do Paraguai, região próxima a Amambai.

Era o adolescente, de acordo com a Polícia, que pilotava a moto em que estava Ângelo da Silva Negreiros Martins, de 18 anos, apontado como sendo o bandido que lançou a granada. Ele foi preso no dia 4.

Outro envolvido no atentado, Roberto Félix Acunha Barboza Ferreira, de 20 anos, também foi preso. Segundo a Polícia, foi ele quem conseguiu o artefato.

Na quarta-feira (5), um adolescente de 17 anos chegou a se apresentar na Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude) depois que a Polícia suspeitou que estivesse envolvimento no crime. Depois de prestar depoimento, foi liberado. Na ocasião, o delgado Roberval Cardoso, afirmou que não encontrou indícios que comprove a participação do menor no delito.

Ataque - Luan revelou durante a prisão que a ordem do atentado partiu de dentro do Presídio de Segurança Máxima, para o pagamento de uma dívida de seu irmão, que está detido no local após ter matado o pai.

Roberto teria conseguido o explosivo com um interno da Colônia Penal da Gameleira, que também foi quem forneceu a motocicleta Biz usada durante o atentado. Ele ficou em posse da granada por três dias.

No dia 27 , por volta das 20h , o explosivo foi jogado em direção ao pelotão e encontrado por um policial. No prédio, havia apenas um policial de plantão. O restante atendia ocorrência na região. O militar ouviu um barulho e foi ver o que era. Ao constatar a granada, acionou os superiores e avisou aos Bombeiros, que mantém uma base ao lado do pelotão.
A granada foi detonada no local pela Cigcoe (Companhia de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais) aproximadamente à meia-noite.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions