A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

09/04/2013 19:18

Auditores fiscais do trabalho rebatem denúncias sobre interdições em Dourados

Nícholas Vasconcelos

Os auditores fiscais do trabalho rebatem as denúncias de abusos nas fiscalizações realizadas nas construções de Dourados. Na semana passada, em uma matéria publicada no jornal O Progresso, representantes da Associação da Indústria da Construção Civil criticam a atuação dos fiscais nas obras do município, afirmando que os embargos e interdições dos auditores estariam descumprindo as Normas Regulamentadoras ao não emitir uma notificação prévia e que haveria “exagero” na fiscalização.

Veja Mais
Escritor douradense lança na terça livro sobre 40 anos de carreira
Comércio de Ponta Porã funcionará em horário especial neste fim de ano

Segundo a presidente do Sinait (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho), Rosângela Rassy, afirma que o compromisso dos fiscais é a defesa dos direitos legais e a proteção à vida dos trabalhadores para evitar os acidentes de trabalho que podem ser fatais. De acordo com o sindicato, em 2011 ocorreram 700 mil acidentes de trabalho em todo país, com 14.800 trabalhadores inválidos e 2.800 morreram.

A Associação da Indústria da Construção afirma que os empresários sofrem prejuízos porque durante o processo de interdição de embargo, os operários não podem ser demitidos e que 50% das obras da cidade estariam embargadas. Os empregadores afirmam ainda que todo o processo prejudica a geração de emprego e renda no município.

A auditora do Trabalho em Dourados, Auzenir de Jesus Caetano, chefe do Setor de Inspeção do Trabalho afirma que todas as acusações são infundadas. Ela informa que os fiscais possuem conhecimento específico para atuarem nessas inspeções.

“Agem de acordo com a lei e todos os embargos e interdições são baseados em laudos técnicos”. Entre as irregularidades encontradas nas obras douradenses estão o uso de escadas de mão nas proximidades de portas ou áreas de circulação.

Segundo ela, não é verdade que metade das obras estão embargadas no município, porque o efetivo de auditores em Dourados continua insuficiente para atender a demanda existente.

“A construção civil é uma de nossas prioridades para evitar a ocorrência de acidentes de trabalho. A atuação dos Auditores-Fiscais do Trabalho tem trazido mudanças significativas e visíveis nos canteiros de obras”.

 

Escritor douradense lança na terça livro sobre 40 anos de carreira
Será lançado na próxima terça-feira (6) em Dourados - cidade localizada a 233 km de Campo Grande - o livro "A Felicidade pela Literatura: Ensaio entr...
Comércio de Ponta Porã funcionará em horário especial neste fim de ano
O comércio de Ponta Porã - cidade localizada a 323 km de Campo Grande - irá funcionar em horário especial neste fim de ano. Os horários e dias foram ...
MPF entra com ação para garantir pesca e extração à comunidade ribeirinha
Foi ajuizada ação civil pública pelo MPF (Ministério Público Federal) para garantir o direito a pesca de subsistência e extrativismo sustentável da c...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions