A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

08/07/2015 15:15

Bandido morto pela polícia tinha uma faca e feriu policial, diz delegado

Em entrevista coletiva, polícia detalhou operação que resgatou empresário de Dourados, sequestrado ontem durante assalto

Helio de Freitas, de Dourados
Renato Rosa Galdino (de roxo) e Evandro Carvalho Zamurio estão presos em Ponta Porã (Foto: Tião Prado/Pontaporainforma)Renato Rosa Galdino (de roxo) e Evandro Carvalho Zamurio estão presos em Ponta Porã (Foto: Tião Prado/Pontaporainforma)

Policiais envolvidos na ação que resgatou o empresário Mário Rubens Ferraz de Paula, 54 anos, assaltado e sequestrado ontem em Dourados, a 233 km de Campo Grande, detalharam em entrevista coletiva nesta quarta-feira (8) a operação que resultou na prisão de três acusados e na morte de um dos criminosos.

Veja Mais
Homem morto em sequestro e troca de tiros era procurado em São Paulo
Rastreador de celular foi fundamental para que empresário pudesse ser encontrado

Clailton Moraes Galdino, 29, morto a tiros durante a abordagem policial à caminhonete roubada, ontem à tarde no município de Antonio João, estaria armado com uma faca e teria investido contra um policial, inclusive ferindo-o. Segundo o delegado Mateus Zapieri Nogueira, houve luta entre o policial e o assaltante e os agentes atiraram em legítima defesa.

Ainda de acordo com o delegado, a faca que estava com Clailton foi usada para dominar o empresário douradense. Zampieri Nogueira confirmou que era a única arma em poder dos assaltantes. Além Clailton, que morreu a caminho do hospital de Ponta Porã, foram presos Renato Rosa Galdino, 26, uma adolescente de 16 anos e Evandro Carvalho Zamurio, 22, todos moradores em Bela Vista. Claiton, fugitivo da Justiça por crime em Araçatuba (SP), era irmão de Renato e da menor.

“Um dos autores estava com uma faca e quando foi possível fazer a abordagem policial, esse criminoso partiu para cima de um policial com a faca e chegou até a feri-lo, aí houve a necessidade de atirar em legítima defesa. Não houve troca de tiros, até porque a única arma dos bandidos era a faca usada também para abordar a vítima. Houve a agressão e por isso os policiais efetuaram os disparos”, explicou o delegado.

Escolhido por acaso – O delegado disse que os assaltantes roubaram a caminhonete S10 para levá-la ao Paraguai e que o empresário douradense foi escolhido por acaso. “Não tinha um planejamento por parte dos criminosos em roubar e sequestrar uma pessoa específica. A vítima foi escolhida no momento da ação”.

Conforme o policial, levar a vítima do assalto junto com o veículo era uma estratégia para impedir que o crime fosse comunicado à polícia antes que a quadrilha conseguirem passar a fronteira com o veículo roubado. “Essa já é uma regra dos bandidos e em todos os casos parecidos que trabalhamos houve a restrição da liberdade da vítima até a conclusão do crime”.

Operação de resgate – Mateus Zampieri Nogueira informou que a investigação começou em Dourados. “Tinham dois policias, um civil e um militar, na casa da vítima, repassando as informações e nós fomos coordenando daqui e passando as informações para equipe de Ponta Porã, Bela Vista e Antônio João”. O rastreador do telefone celular do empresário ajudou a polícia a localizar o veículo.

Conforme o comandante da Polícia Militar em Dourados, tenente-coronel Carlos Silva, as informações iniciais foram repassadas imediatamente para os comandos das forças policiais e toda a fronteira começou a ser monitorada, assim como as saídas da cidade.

Ficha criminal – O delegado informou que os maiores de idade tinham passagens por tráfico e por homicídio. Renato, irmão de Clailton, tinha fugido há alguns dias da cadeia pública de Bela Vista. “Agora seguimos o inquérito para apurar todos os crimes cometidos, mas a principio eles serão processados por roubo com restrição da liberdade da vítima [sequestro relâmpago], extorsão mediante sequestro, porque durante os cartões de crédito da vitima foram roubados e por organização criminosa, além de corrupção de menores”.

A princípio os três acusados vão continuar detidos na 1ª Delegacia de Polícia de Ponta Porã. A adolescente de 16 anos foi encaminhada para a Unei (Unidade Educacional de Internação) da mesma cidade.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions