A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

25/01/2012 11:42

Bombeiro é expulso dois anos após ser flagrado usando crack em quartel

Marta Ferreira

O Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul expulsou, conforme publicação de hoje, um soldado de 31 anos, que foi flagrado em 2009 fumando crack dentro de um quartel, em Paranaíba.

Veja Mais
Europeus querem boicote à soja por genocídio indígena, diz deputado
Corpo encontrado em rio é de trabalhador que desapareceu no domingo

A decisão foi do Conselho de Disciplina da Corporação. O militar é alvo, também, de processo na Justiça Militar, junto com um outro colega, igualmente flagrado usando a droga.

Conforme os relatos que constam do processo, os dois bombeiros usaram crack durante o plantão, na madrugada de um domingo para segunda-feira. A droga, que estava em uma lata de refrigerante, foi encontrada em embarcação do quartel onde trabalhavam, no município de Paranaíba.

O uso do entorpecente foi percebido por um outro bombeiro, por volta das 3h, quando chegou ao local e, ao ir ao banheiro, percebeu o cheiro de crack.

Durante o andamento das investigações, os dois bombeiros trocaram acusações entre eles.

Um deles assumiu que era dependente químico em tratamento e acabou sendo afastado das funções, segundo publicação do fim do ano passado, informado afastamento por mais de seis meses por conta de incapacidade.

O bombeiro que foi expulso hoje, de início negou a dependência química e inclusive o tratamento. O processo informa que, no dia do episídio, ele chegou a perdir ao colega que fez o flagrante para que ficasse quieto, o que não aconteceu.




Foi expulso CORRETAMENTE, temos que parar com essa tolerância demasiada, com essa sindrome de coitadinho em pleno século 21, todo mundo tem acesso a informação, só vai para as drogas quem quer, venho de família pobre e isso não é desculpa para nada, se o cara quer ser funcionário público deve agir de maneira honrosa e não se envolver com drogas, esquemas e bandidos...
Fumou crack porque quis...
 
Roberto Inzagaki em 26/01/2012 12:32:11
Fizeram a coisa certa, imagine voce ser protegido por uma pessoa que é , oi foi dependente quimico.E que sirva de ex. para os outros.
 
juarez delmondes em 25/01/2012 12:51:11
Silvia, discordo de você. Tem que expulsar sim. Está na hora de valorizar quem trabalha certinho, quem cumpre suas obrigações, quem honra a farda que veste! Chega de ficar passando a mão na cabeça de pessoas que não dão valor nem na própria vida. As regras são postas na mesa quando entram numa corporação militar. Aceita quem quer não é verdade?
 
Emerson R. B. Leão em 25/01/2012 12:31:36
Concordo com o afastamento, mas expulsão? Não. Não seria melhor impor tratamento e acompanhamento? Ele não é o primeiro e não será o ultimo. Quantos bebem?
 
silvia dos santos pereira em 25/01/2012 12:01:37
...e para quem perguntou: "- Em MS tem sim políticos, militares, magistrados, profissionais liberais, artistas, etc, viciados em crack....mas, são intocáveis e tem condições financeiras para tal" - Desabafo meu.
 
TONY RABELLO QUINTINO DA SILVA em 25/01/2012 07:27:46
tá correto, devem sim puni-los, todos de uma forma geral, esses usuários de drogas, pelo grande mal que geram pra si mesmo e pra toda a sociedade, temos q dar um basta neste câncer cronico q tá tomando conta das pessoas, não se pode ficar passando a mão na cabeça dessas pessoas como se fossem uns coitadinhos. Tem q penaliza-los.
 
Renato Marin em 25/01/2012 07:03:35
Expulsar foi o melhor a fazer, pois ele assim ficara em tratamento e se cuidando para não cair em drogras cada vez piores. E se ele continuasse na cooporação, nao daria certo, pois ficaria nas costas do Governo. Isso seria muita folga.
Pois eu admiro o trabalho dos bombeiros em geral, e é neles que seguimos o exemplo.
 
Bianca Bianquini em 25/01/2012 06:53:39
Somente sabemos o resultado final do processo disciplinar. Com certeza a lista de irregularidades praticadas pelo rapaz é bem grande. Ninguém é excluido por um ato apenas. A instituição tem responsabilidades com a sociedade e essas se sobrepõem ao individual. Mantê-lo na corporação não é sinônimo de ajuda.
 
André Macedo em 25/01/2012 06:29:34
Por isso que sou a favor do exame toxicológico durante a realiazaçao dos concursos publicos.
 
Ana Cristina em 25/01/2012 06:23:08
Por se tratar de um farmacodependente, seria interessante mante-lo afastado(com a devida remuneração) por mais tempo. É evidente que trata-lo é mais importante do que sua expulsão, mesmo porque a expulsão do trabalho é uma punição muito grave. Será mais caro para a sociedade ter mais um dependente químico. Em suma, o RESGATE dessas pessoas é muito valioso, é SALVAR uma VIDA
 
Moisés Chaves em 25/01/2012 06:09:56
Imagina o que será dele agora. É fácil falar em valorizar a farda quando os próprios militares não são valorizados. Não é somente a droga que destrói, o alcoolismo, depressão...entre outras doenças psíquicas que muitos militares vem sofrendo. Cmte faça uma análise de tanto problema que sua corporação vem passando. Não acusem um dia pode ser o filho de vcs; Que Deus tenha misericórdia da vida dele
 
Rosângela M.Santos em 25/01/2012 06:08:22
Fica aqui uma prgunta: será que uma punição severa como essa se aplicaria se fosse um oficial? ou só pegam peixe pqueno. Não estamos vivendo mais uma ditadura militar,precisaqmos de tratar as pessoas que estão doente; ou esse comando insensato acha que o cidadão desempregado terá um futuro melhor? Hora de pnsar....
 
josé Rodrigues em 25/01/2012 05:28:32
O crack é uma epidemia nacional, não será expulsando a pessoa da corporação que irá resolver o problema. Quantos trabalhadores seja de um órgão publico ou empresa privada tem usuários desta droga medonha?Quantos são dependentes do alcool?Com esta atitude irão jogar este moço nas profundezas do inferno, ao invés de tentar retira-lo.


 
Francisco Araujo em 25/01/2012 05:19:00
E se fosse um medico ou um advogado da uniao que tivesse se viciado com qualquer tipo de droga nao seria expulso... precisamos acabar com estes rotulos de marcas, por ser militar tem que ter tratamento diferenciado, oque se tem que tratar alem do vicio com certeza sera o preconceito em nossa sociedade.
 
daniel bueno em 25/01/2012 05:02:46
Silvia,eu concordo com você, que todos tem que ter a oportunidade eo direito ao tratamento mas esse referido militar teve todas as oportunidades que lhes foram dadas e o mesmo abriu mão desse direito não efetuando o tratamento,onde não restou outra decisão se não a exclusão do mesmo.Existem fatos a respeito deste militar que voces leitores não conhecem e sim quem trabalha com o mesmo ok.
 
Joilson G.Delgado em 25/01/2012 04:55:11
Voltei aqui novamente para deixar meu repúdio a esta brilhante organização que todos nós brasileiros admiramos, mas diante de tamanho absudro tenho que manifestar. Sempre ouvi que as insituições militares são mais que família. Muito bem! Mas que família é essa que joga seu filho para fora de casa ao invés de cuidá-lo. Comandante Geral vamos repensar o caso. Discupla-me se estive errado!
 
Juvenal Moreira em 25/01/2012 04:05:09
Ninguém pode ser jogado na rua. O acolhimento sempre é o melhor caminho, depois da recuperação poderia estudar um meio de readapitá-lo em outra função que possa produzir e viver do seu próprio suor. Os juizes(aqueles que batem o martelo e pune), quando são pego na contra mão da lei, Eles são aposentados, e aí? O soldado de 31 anos, vai fazer o quê?Se o próprio governo joga para fora da instituição
 
Juvenal Moreira em 25/01/2012 03:58:37
Tratamento sim,mas infelizmente quando tem uma Disciplina militar que rege todos, e com certeza ele quebrou a disciplina que ele tinha conhecimento e descumpriu, Então ele pagou para ver as conseguencias de suas atitudes.
 
paulo henrique em 25/01/2012 03:32:39
discordo pela expulção mas concordo pelo tratamento....li um comentario que falava sobre pessoas certinhas,me desculpem mas todos somos pecadores e não existem esse tipo de pessoas....aceitar o erro e buscar tratamento eh motivo de uma nova chance,sempre
 
thiago silva em 25/01/2012 03:28:58
CONCORDO PLENAMENTE COM A SILVIA, EMBORA NAO A CONHEÇO. NAO HAVIA NECESSIDADE DE EXPULSÃO. APLICAR UMA PUNIÇAO SIM, MAS EXPULSSAR E DEMAIS, INFELIZMENTE AINDA TEM MUITA GENTE QUE ACHA VALIDOS OS COSTUMES QUE A MALDITA DITADURA APLICAVA.
 
RUMILDO MELGAREJO em 25/01/2012 03:11:37
Parabens silvia pelo seu comentario, concordo plenamente com vc. lastimavel seu comentario SR Leao, tipico pensamento arcaico de militares. Pelo que sei, dependencia quimica e doenca, e se for expulsa-lo, deveria expulsar outros, que tambem faz uso de drogas e cometem crimes MILITARES. Ou sera que soh ele faz uso de quimicos na intituicao??? muitos conceitos deveriam ser reavaliados no cbm.
 
joao da silva em 25/01/2012 02:46:51
Para esclarecer foi feito tratamento e o mesmo não respondeu positivamente, inclusive dando outros problemas no decorrer. Silvia, acredito que voce não gostaria de ser socorrida, como vítima de um grave acidente, onde sua vida está em risco, por um militar tendo alucinações decorrentes do uso de drogas...
 
Abnedail Prestes em 25/01/2012 02:34:10
Infelizmente esta maldita droga chegou a pessoas que são treinadas para nos atendermos em situações de risco,foi extremamente correto afastar estes bombeiros mas para um possível tratamento porque só afasta-los poderá comprometer mais sua saúde, expulsão não acho que é a melhor saída ,existe tratamento para estas situações.
 
Gisélia Fernandes em 25/01/2012 02:30:12
desde quando bombeiro e super heroi , pois se a sociedade esta implagnada deste vício, é bem provãvel que até as mais ilustres entidades tenhas seus casos de dependente embaixo do pano , que garante que não tenha deputados policiais juízes que são dependente, e se tratamos todos os moradoresa de rua doentes dessa praga porque não tratar o bombeiro ????????????????????????
 
jose amilton duran em 25/01/2012 01:46:00
Concordo com vc Silvia, teria que fazer um tratamento com esse rapaz, afastá-lo das suas funçoes para tratamento, expulsar foi demais.
 
fabiano frança em 25/01/2012 01:05:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions