A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

14/10/2014 15:20

Câmara inicia processo para cassar vereadores acusados de corrupção

Helio de Freitas, de Dourados
Novo presidente da Câmara Moacir Andrade lê os nomes dos integrantes da Comissão Processante (Foto: Edilson Oliveira/Sul News)Novo presidente da Câmara Moacir Andrade lê os nomes dos integrantes da Comissão Processante (Foto: Edilson Oliveira/Sul News)

A Câmara de Naviraí, cidade a 366 km de Campo Grande, iniciou nesta terça-feira o processo de cassação dos cinco vereadores presos na Operação Atenas da Polícia Federal acusados de corrupção. A Comissão Processante instalada pelo Legislativo vai apurar e decidir se recomenda ou não que Cícero dos Santos, o Cicinho do PT, Carlos Alberto Sanchez, o Carlão (SDD), Solange Melo (Pros), Adriano Silvério (SDD) e Marcus Douglas Miranda (PMN) sejam cassados pelos crimes apontados pela PF.

Veja Mais
População lota Câmara de Naviraí para posse de substitutos de vereadores presos
Gravações revelam que prefeito sabia de esquema montado por vereadores

Os três nomes que compõem a Comissão Processante foram sorteados durante a sessão de ontem à noite. Dois são suplentes e tomaram posse ontem – Márcio Scarlassara (PTdoB) e Antônio Carlos Klein (PDT). O terceiro integrante é Vanderlei Chagas (PR), que chegou a ser citado como um dos vereadores presos na semana passada, mas tinha sido apenas levado à delegacia para depoimento.

Conforme a assessoria jurídica da Câmara, os vereadores que estão presos e oficialmente afastados do mandato têm dez dias após serem notificados para apresentarem a defesa. Após esse prazo, a comissão terá mais cinco dias para concluir o relatório e recomendar ou não a cassação. Se for pela cassação, o parecer terá de ser aprovado em plenário pela maioria dos vereadores.

De acordo com o jornalista Edilson Oliveira, do site Sul News, a indicação dos integrantes da Comissão Processante causou polêmica na sessão desta segunda, que foi acompanhada por cerca de 500 moradores. Inicialmente o assessor jurídico da Câmara, Elço Brasil Pavão de Arruda, avaliou que a presença de um dos suplentes empossados ontem poderia invalidar o trabalho da comissão, já que poderia surgir suspeita de interesse pessoal numa eventual cassação. Três nomes chegaram a ser indicados sem a presença dos novatos –José Odair Galo (PDT), Elias Alves (Pros) e Mario Gomes (Pros). Entretanto, os cinco novos protestaram e pediram para participar do novo sorteio.

Vaiado pelos moradores que lotavam a Câmara, Moacir Andrade mudou de ideia e incluiu os nomes dos 12 vereadores. Ele não poderia participar da comissão. Quando se levantavam para uma sala reservada para o sorteio, novamente os vereadores foram vaiados pela população, que exigia o sorteio público. Moacir Andrade atendeu ao apelo do povo e fez o sorteio ali no plenário.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions