A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

24/04/2015 16:53

Caminhoneiros retiram barracas e abandonam protestos na BR-163

Representantes de empresas de transporte e cooperativa queriam permanecer no Trevo da Bandeira, mas tiveram de deixar o local; PRF diz que estradas estão liberadas em MS

Helio de Freitas, de Dourados
Momento em que manifestantes eram informados por policiais rodoviários sobre liminar que determina desobstrução total de rodovia (Foto: Eliel Oliveira)Momento em que manifestantes eram informados por policiais rodoviários sobre liminar que determina desobstrução total de rodovia (Foto: Eliel Oliveira)

Mesmo ameaçados de multa de R$ 10 mil a cada hora de interdição de rodovias federais, líderes do protesto dos caminhoneiros pretendiam permanecem no Trevo da Bandeira, em Dourados, a 233 km de Campo Grande, mas até a tenda montada no local teve de ser retirada. Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), havia dúvida se a liminar da Justiça concedida em março contra os bloqueios ainda estava em vigor e nesta tarde a AGU (Advocacia-Geral da União) confirmou que a decisão continua valendo.

Veja Mais
Após PRF ameaçar com multa de R$ 10 mil, caminhoneiros liberam BR-163
Hortifruti fica mais caro na 2ª feira caso protesto de caminhoneiros continue

Informados pela PRF sobre a liminar, os líderes do protesto iniciado hoje de manhã retiraram o acampamento montado no trevo. Tanto a BR-163, que corta a cidade com destino à região sul, quanto a BR-463, que liga Dourados a Ponta Porã, permaneceram com trânsito livre durante todo o dia.

Cópia da liminar foi entregue por policiais rodoviários federais aos organizadores, que tiveram de assinar o documento. Minutos antes, os manifestantes faziam um churrasco embaixo da tenda montada no Trevo da Bandeira, principal entrada da cidade de quem vem da região sul.

Há pouco a PRF divulgou em sua página no Facebook que a BR-163 está liberada, tanto no km 256 (Dourados) quanto no 466 (Campo Grande).

Protesto esfriou – O alerta da Polícia Rodoviária Federal sobre a multa, estipulada em decisão judicial concedida ainda no protesto de março, esfriou o movimento já no período da manhã. O protesto se dispersou na Capital, mas os organizadores prometiam manter a mobilização na segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

“Os próprios caminhoneiros estão evitando pegar a estrada e decidiram permanecer em casa ou nos postos. Poucos iniciaram viagem e os que chegaram aqui nós pedimos e eles voltaram ou decidiram seguir até uma próxima parada”, afirmou nesta tarde ao Campo Grande News o empresário do ramo de transportes de Dourados, Evandro Cezar.

Antes da nova recomendação da AGU, ele afirmou que o grupo permaneceria no local até terça-feira, para quando foi agendada uma nova reunião com o governo federal. Além da tabela de frete mínimo, o movimento retoma a cobrança de redução do preço do óleo diesel.

Outro líder do movimento, o presidente da Copersul (Cooperativa de Apoio aos Transportadores Rodoviários de Mato Grosso do Sul), João Lopes, admitiu que o protesto dispersou, assim como ocorreu na Capital. Segundo ele, a liminar estipulando a multa desanimou os manifestantes.

Já o inspetor Ozanan Catelan Teixeira, chefe da PRF em Dourados, disse que o protesto ocorreu de forma tranquila, sem interdição da rodovia. No período da manhã os manifestantes chegaram a colocar cones para obrigar os caminhoneiros a diminuírem a velocidade e dessa forma poderem tentar convencê-los a suspender a viagem. Com o alerta da PRF, a manobra foi suspensa.

Poucos minutos antes da chegada de policias com a liminar, manifestantes faziam churrasco sob tenda montada no trevo (Foto: Eliel Oliveira)Poucos minutos antes da chegada de policias com a liminar, manifestantes faziam churrasco sob tenda montada no trevo (Foto: Eliel Oliveira)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions