A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

04/05/2015 13:44

Cassação de dois vereadores será julgada amanhã por suplentes

Renata Volpe

A Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo - distante 103 km de Campo Grande, inicia amanhã (5), às 18h, o julgamento em plenário do processo que irá absolver ou cassar o mandato dos vereadores afastados Claudio Roberto Siqueira Lins (PT do B) e Fabiano Duarte da Silva (SSD). Eles são acusados pela Comissão Processante de terem praticado os crimes de improbidade administrativa, peculato, falsidade ideológica e corrupção passiva.

Veja Mais
Cidade dos 13 vereadores afastados por corrupção vai às ruas domingo
Vereadores afastados por corrupção depõem na próxima terça

Conforme informações do site Rio Pardo News, os vereadores foram afastados no dia 13 de novembro de 2014 pelo juiz da comarca do município acusados de fraudarem licitações e forjarem documentos para o recebimento de diárias. Além deles, outros seis vereadores também foram afastados no escândalo que ficou nacionalmente conhecido como a farra das diárias.

Para a realização desse primeiro julgamento em plenário, o presidente da Câmara, Sebastião Roberto Collis, convocou no dia 30 de abril, quatro vereadores suplentes que vão votar o relatório no lugar dos vereadores titulares inaptos.

Foram convocados os suplentes: Luciene Almeida Delvalles, a Tiene (PSCD), Bartolomeu Pacheco dos Santos Filho, o Barto Pacheco (PTB), Douglas Souza da Silva (PV) e Henrique Pereira Dias Filho, o Henriquinho (PR). Em tese eles vão substituir vereadores suplentes que substituem os vereadores julgados, porém existe ainda casos como o da vereadora Lucineide Friosi (PSDC) que pediu através de requerimento formal para não participar das votações por se julgar parte interessada no processo.

Outro vereador titular que será substituído por suplente, será Roberto Carlos Lins (PSL). Ele além de ser o suplente é irmão de Claudio Roberto Siqueira Lins. Outra observação importante na convocação de suplente fica por conta do caso do vereador suplente Osmar Medeiros (PSB). De acordo com o advogado da Câmara, como ele é o denunciante dos crimes, também fica impedido de votar.

O relatório que vai a julgamento em sessão extraordinária dessa terça-feira, será apresentado pelo relator da comissão, Luiz Antônio Ribeiro (PSB). Participaram ainda da elaboração do relatório, os vereadores Sônia Passos (PSDB) como presidente e Sidnei Fontebassi (PSD) como membro.

Matéria editada às 20h02 para acréscimo de informações. 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions