A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

15/06/2012 16:01

Força-tarefa da CGU vai analisar material apreendido em Corumbá

Aline dos Santos
Documentos apreendidos durante operação Decoada. (Foto: Francisco Júnior)Documentos apreendidos durante operação Decoada. (Foto: Francisco Júnior)

A CGU (Controladoria-Geral da União) terá uma força-tarefa a partir da próxima semana para analisar os documentos apreendidos na operação Decoada, realizada pela PF (Polícia Federal) em Corumbá.

Veja Mais
PF monitorou suspeitos por cem dias para apurar fraudes em Corumbá
Todos os presos na operação da PF em Corumbá já estão em liberdade

De acordo com a chefe da controladoria em Mato Grosso do Sul, Janaína Gonçalves Theodoro de Faria, quatro analista de finanças vão vir de outros Estados para auxiliar na análise. Ao todo, a equipe terá cinco pessoas.

A operação cumpriu mandados de busca e apreensão na prefeitura de Corumbá, no Hospital de Caridade e empresas. Documentos também foram apreendidos na prefeitura de Ladário. Escutas telefônicas apontam indícios de fraudes na área de Saúde e superfaturamento de show.

Na Decoada, foram presos o secretário de Finanças e Administração, Daniel Martins Costa; o ex-presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Rodolfo Assef Vieira, que deixou o cargo para disputar as eleições; o assessor de gabinete, Carlos Porto; e a gerente II da Secretaria de Gestão Governamental, Camila Campos Carvalho Faro. Todos já estão em liberdade.

O secretário de Finanças e Porto foram afastados de suas funções pela Justiça. A lista de afastamentos ainda inclui o secretário municipal de Saúde, Lauther Serra; diretor da junta interventora do Hospital de Caridade, Vitor Salomão Paiva; e os servidores Osana de Lucca, Márcio Androlage Chaves e Maria Vitória da Silva.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions