A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

31/03/2011 08:59

Chuva abre crateras na MS-487 e interdita acesso ao Paraná

Nadyenka Castro

Há também rachaduras na rodovia

Alguns motoristas se arriscam e passam no único espaço fechado entre as crateras. (Foto: Umberto Zum) Alguns motoristas se arriscam e passam no único espaço "fechado" entre as crateras. (Foto: Umberto Zum)

A forte chuva que caiu na região Sul do Estado na tarde dessa quarta-feira abriu duas crateras na MS-487, em Naviraí, e interditou o acesso ao Paraná pela rodovia que leva até Icaraíma.

A grande quantidade de água infiltrou no asfalto e as tubulações não deram conta do volume. O resultado foi as crateras nas laterais da pista e rachaduras.

Alguns motoristas se arriscam e tentam passar pelos grandes buracos.

O trabalho de recuperação da via deve começar quando o tempo melhorar, pois ainda chove na região.

Desvios- O local interditado fica a 21 quilômetros do trevo da BR-163, no sentido ao estado do Paraná.

Dois desvios foram montados na via. Quem segue no sentido Paraná, ao chegar próximo do local onde está interditado, deve entrar à esquerda pegar uma estrada.

Passa por dentro de um assentamento e sai na MS-487, cerca de 500 metros à frente do ponto de interdição.

(Com informações do Ta Na Mídia Naviraí)

 Chuva abre crateras na MS-487 e interdita acesso ao Paraná
Curiosos constatam o tamanho da cratera. (Foto: Umberto Zum)Curiosos constatam o tamanho da cratera. (Foto: Umberto Zum)



No japão houve um dos mais terríveis terremotos, rodovias inteiras foram arrasadas. Acreditem, lá as principais rodovias foram recuperadas e sinalizadas em menos de 20 dias. Aqui, o asfalto (mal feito, mal projetado e bem caro) nas primeiras movimentações, surgem as fissuras e os buracos, que se tivesse a manutenção devida duraria mais, apesar da qualidade, mas o que ocorre e que deslocar uma equipe para tapar um buraco de 20 centímetros, é muito caro, então espera-se as proximas chuvas e até lá ele terá dois metros e muitos outros vizinhos, então em virtude do clamor popular e outras cositas mas, fazem uma "operação tapa buraco" que fica mais caro do que construir uma outra estrada. Em que será que os Políticos Japoneses são melhores que os nossos "papa verbas"? O que será que nos falta para cobrarmos pelo que pagamos e bem caro? as vezes com a própria vida nos acidentes das vias esburacadas. Porque as nossas obras não passam pela primeira chuva?
 
Valter Antunes Oliveira em 31/03/2011 11:36:58
Na verdade, a erosão na base desses dois aterros, já era visível há mais de um ano. Como sempre, nada foi feito, exceto colocar placas alertando os motoristas para não usarem o acostamento nos trechos comprometidos. A ex-BR 487 sempre foi bem cuidada pelo DNIT, porém, depois da estadualização, há cerca de quatro anos, a rodovia foi abandonada pela AGESUL, aliás, como todas as rodovias estaduais o foram. Além da buraqueira, não há mais policiamento, uma vez que a base da PRE mais próxima é a de Amandina, que fica a 200 Km da MS-487. Como não há nem manutenção e nem policiamento na rodovia, os abusos e os acidentes são freqüentes. Convido os cidadãos do estado a trafegarem nesse trecho para comprovarem o que digo. Só lhes peço: cuidado com excesso de velocidade dos veículos, animais na pista, pedestres na rodovia e motos, muitas motos, pilotadas por pessoas sem capacetes, levando famílias inteiras, animais, etc.
 
Adriano Roberto dos Santos em 31/03/2011 10:47:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions