A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

04/04/2014 16:01

Colegiado de juízes condena bandidos do PCC a 300 anos de prisão

Aliny Mary Dias

Em uma decisão histórica e inédita em Mato Grossodo Sul, um colegiado de juízes condenou 18 integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) a mais de 300 anos de prisão. Eles foram condenados em Nova Andradina, a 300 quilômetros da Capital. A sentença é de outubro de 2013, mas foi divulgada ontem (3) pelo site Jornal da Nova.

Veja Mais
Com sítio invadido por índios, família está há nove meses fora de casa
Pistoleiro preso “some” e prefeito de Pedro Juan cobra polícia paraguaia

Conforme a sentença, a quadrilha atuava há anos na região de Nova Andradina e só foi presa e condenada depois de ações da Polícia Civil e do MPE. Todos os integrantes foram investigados e monitorados durante seis meses. Toda a estrutura da quadrilha e o cargo de cada acusado foram descobertos pela polícia.

Na sentença do colegiado formado pelos juízes Albino Coimbra Neto, Thiago Nagasawa Tanaka e José Henrique Kaster Franco, os crimes imputados aos 18 réus foram formação de quadrilha, cárcere privado, tentativa de roubo e associação para o tráfico.

Entre a ação da quadrilha está o aliciamento de adolescentes para prática de crimes como frutos, roubos e venda de drogas em bocas de fumo.

Oferecidas pelo promotor Fabrício Secafen Mingati, as denúncias foram aceitas pelo colegiado. E os réus condenados são Alcimar Rodrigues da silva, Alef Augusto Braga da Costa, Almir Lima de Souza, Anderson Alves Lopes, Celso da Silva Ferreira Junior, Fernando de Souza Pereira, Francisco Cardoso Farias, Helber Silva Perez, Jaqueline de Araujo Moraes, Paulo Henrique Carvalho Luiz, Paulo Rogério do Nascimento Silva, Pedro Camilo Marangoni da Paz, Ronaldo Adriano Reis da Silva, Rodrigo Lincoln de Araujo Ribeiro, Valdecir dos Santos, Tiago Ribeiro Ramos, Rafael da Silva Barbosa e Vanderlei Socorro de Oliveira.

Somadas as penas de todos os condenados, foram mais de 300 anos de detenção para a quadrilha em regime fechado, inclusive para aqueles que foram condenados a menos de 8 anos de prisão, situação que possibilita o regime semiaberto.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions