A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

17/03/2015 16:30

Com 33 casos, cidade ainda enfrenta risco de epidemia de dengue

Apesar do número de casos considerado baixo, saúde pública está em alerta porque índice de infestação aumentou em Dourados

Helio de Freitas, de Dourados
Agentes de saúde eliminam criadouros do mosquito da dengue em bairro de Dourados (Foto: Divulgação/A. Frota)Agentes de saúde eliminam criadouros do mosquito da dengue em bairro de Dourados (Foto: Divulgação/A. Frota)

De janeiro até agora, 33 casos de dengue foram confirmados em Dourados, a 233 km de Campo Grande. Apesar de o número considerado baixo, pincipalmente se levar em conta uma população de 210 mil habitantes, a cidade ainda não está livre de uma epidemia da doença antes do inverno. O índice de infestação do mosquito Aedes aegypti aumentou muito nas últimas semanas em decorrência da chuva e deixou a saúde pública em alerta.

Veja Mais
Novo mapeamento mostra 5 bairros da Capital com maior risco de dengue
Epidemia de dengue ameaça 26 cidades e infestação chega a 8,7%

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, se os focos do mosquito da dengue, que também transmite a febre chikungunya, não forem eliminados, o número de pessoas infectadas pode explodir nos próximos meses.

“Essa temporada de chuva fez a infestação do mosquito aumentar e o risco está grande agora. É importante que todos façam uma busca intensa em casa, ajudem a eliminar os criadouros do mosquito”, afirmou a coordenadora do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) Rosana Alexandre da Silva.

Através da assessoria, Rosana informou que um levantamento utilizado para identificar a quantidade de focos do inseto, o Liraa, mostrou que a presença do Aedes aegypti cresceu em várias regiões da cidade. “A quantidade de casos ainda está baixa, mas essa infestação mostrada pelo Liraa indica que se eliminarmos os focos, corremos o risco enfrentar uma epidemia. Para isso não acontecer, todos precisam contribuir com ações preventivas”, afirmou ela.

Infestação alarmante – Conforme o CCZ, o índice de infestação predial chegou a 4,3%, proporção considerada alta, uma vez que acima de 3,9% a situação já é de risco. Em janeiro o índice médio estava em 2,4%. As regiões da cidade com maior infestação incluem o centro, Jardim Tropical, Vila Alvorada, Jardim Universitário, Vila Sulmat, Parque Alvorada e BNH 1º Plano. Nessas áreas a presença do mosquito chega a 7,5% das casas.

O levantamento feito na semana passada por agentes de combate à dengue vistoriou 3.427 imóveis. Para conter o mosquito da dengue, a prefeitura promete intensificar os mutirões de limpeza na área central, Parque das Nações I e II, Jardim Novo Horizonte e Parque do Lago. No Parque Alvorada o serviço foi feito na sexta, dia 13.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions