A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

15/06/2015 16:02

Com greve de servidores, HU reduz internações e suspende cirurgias

Hospital Universitário de Dourados parou de agendar cirurgias e dos 50 leitos, apenas 27 estão ocupados, mas assessoria nega recusa de pacientes

Helio de Freitas, de Dourados
Hospital Universitário de Dourados, que já reduz atendimentos em função da greve de servidores (Foto: Eliel Oliveira)Hospital Universitário de Dourados, que já reduz atendimentos em função da greve de servidores (Foto: Eliel Oliveira)

A greve dos técnicos administrativos da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e do HU (Hospital Universitário), iniciada no dia 29 de maio, já afeta o atendimento de saúde a moradores de Dourados e da região. O agendamento de cirurgias eletivas foi suspenso, apenas metade dos leitos está ocupada e partir de hoje os serviços de imagem e de laboratório serão reduzidos em 50%.

Veja Mais
HU confirma 42 leitos fechados e cirurgias eletivas serão remarcadas
Greve de servidores começa a fechar leitos no Hospital Universitário

Em nota, a assessoria de comunicação do HU informou nesta segunda-feira ao Campo Grande News que desde 8 de junho não estão sendo agendadas cirurgias eletivas e apenas as que estavam marcadas estão sendo feitas.

“Na clínica médica (postos III e IV, onde há as internações), também em função da redução da força de trabalho por conta da greve, apenas 27 dos 50 leitos estão ocupados. Este número se aproxima de 50% - percentual ao qual o serviço seria reduzido, conforme o comando de greve. Cabe ressaltar que o HU não está recusando pacientes e, sim, reduziu as internações, pois não há como atender adequadamente a todos com menor contingente de servidores”, afirma a assessoria.

Conforme o hospital, entre os demais setores, alguns continuam funcionando integralmente, como UTIs adulto, neonatal e pediátrica, Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) e Linha Materno-Infantil (Maternidade, Centro Obstétrico, Pediatria).

“Nos outros setores, incluindo o administrativo, os servidores aderiram à greve e se organizaram em escalas de trabalho para que o atendimento se reduza, mas não se paralise totalmente”, diz a nota. A assessoria informou que o setor ambulatorial, onde são feitas as consultas, está funcionando normalmente.

Para a direção, até o momento as ações do movimento grevista estão “em conformidade com o que o grupo apresentou” ao Hospital Universitário de Dourados.

Greve – A UFGD e HU tem pelo menos 950 técnicos administrativos, mas o número de servidores em greve desde 29 de maio é desconhecido, já que o sindicato não divulga balanço do movimento. Entre os grevistas estão funcionários dos setores administrativos da universidade e do hospital e profissionais de nível superior.

Nesta segunda a coordenadoria de comunicação do Sintef (Sindicato dos Trabalhadores em Educação das Instituições Federais) informou que uma nota sobre a greve seria divulgada na página da entidade na internet, o que não ocorreu até 15h30.

Os administrativos reivindicam reposição salarial de 27,3%, redução da jornada de trabalho para 30 horas semanais sem diminuição de salário, suspensão dos cortes orçamentos das instituições de ensino, fim da terceirização e melhoria de outros benefícios, como auxílio-alimentação.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions