A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

13/08/2014 10:15

Comércio convoca lojistas a fechar as portas sexta-feira em protesto à violência

Liana Feitosa e Caroline Maldonado
Autoridades de Ponta Porã apresentaram ofício com propostas de segurança em Campo Grande no início do mês. (Foto: Divulgação)Autoridades de Ponta Porã apresentaram ofício com propostas de segurança em Campo Grande no início do mês. (Foto: Divulgação)

O comércio de Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, está sendo convocado a fechar as portas na sexta-feira (15), das 8h30 às 10h, enquanto representantes da cidade se reúnem, em Campo Grande, com o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul, Wantuir Jacini. O protesto é por mais segurança na região.

Veja Mais
Governador anuncia no Facebook medidas para conter violência na fronteira
Autoridades de segurança e comerciantes pedem Força Nacional em Ponta Porã

A decisão foi anunciada pela ACEPP (Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã). Para a entidade, fechar as portas será uma ação de apoio à Sociedade Civil Organizada do município fronteiriço, além de um ato de protesto contra casos recorrentes de violência na cidade.

O índice de violência no município há muito tempo preocupa autoridades e a população. Desde o mês passado representantes de entidades do comércio de Ponta Porã e autoridades do poder público têm se reunido para discutir aspectos relacionados à segurança na cidade.

A última reunião com as autoridades ocorreu na quarta-feira (06), em Campo Grande. Em outro encontro, há quase um mês, moradores e comerciantes reclamaram a falta de efetivo nas polícias Civil e Militar. Na ocasião, um morador contou que depois de ter o carro roubado, na madrugada do dia 12 de julho, encontrou a delegacia fechada e o batalhão da Polícia Militar aberto, mas sem qualquer funcionário. 

O presidente da ACEPP, Eduardo Gauna, confirmou a falta e policiais e o elevado número de assaltos na área central. Segundo ele, há comerciantes que já foram assaltados quatro vezes na mesma semana. A situação piorou com o afastamento dos homens da Força Nacional, que se concentraram nas ações relacionadas a Copa do Mundo e ao encontro dos Brics (Brasil, Rússia, Índia e China), realizado nos dias 15 e 16 de julho, em Fortaleza. 

Questionado sobre o número de assaltos, o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Francisco Jacini, disse ao Campo Grande News que o sistema da Polícia Civil registrou queda no número de ocorrências nos últimos seis meses, em comparação com o último semestre de 2013. De acordo com ele, é possível que nem todas as ocorrências tenham sido registradas na polícia pela população. 

Jacini reconheceu a falta de pessoal e disse que aprovados em concursos da Polícia Militar e Civil estão em fase de formação. “A previsão é que estes concursados assumam os cargos ainda neste ano”, afirmou o secretário. 

No início deste mês, o governador André Puccinelli anunciou, pelo Facebook, a adoção de medidas imediatas para conter a onda de criminalidade em Ponta Porã. Segundo Puccinelli, foram realizadas operações em sigilo que deram bons resultados.

"Uma explicação: como eram operações especiais, havia um sigilo natural, que nos levou a comentar o assunto somente agora. Mas estamos atentos e trabalhando, contando sempre com a colaboração preciosa dos amigos que acreditam no progresso de Mato Grosso do Sul. Valeu!", justificou o governador no texto publicado na rede social. 

Crimes - No dia 1º desde mês, um homem foi morto na cidade ao reagir a um assalto. Elio Machuca Cantalipi, 23 anos, estava sendo roubado quando o amigo, André Pereira, de 25, foi baleado ao tentar defender Elio. O crime aconteceu próximo à linha internacional, que divide o Brasil e o Paraguai.

Na madrugada do dia seguinte, outro homem foi baleado dentro de uma casa noturna . Alan Melgarejo Antun, 25 anos, foi internado na ala de emergência do Hospital Regional da cidade atingido por um tiro na boca. Neste dia, a Força Nacional de Segurança Pública prendeu cinco jovens que são suspeitos de roubos à mão armada e um latrocínio, quatro adolescentes e um rapaz de 18 anos identificado como “Alemão”. Segundo a polícia, o grupo cometeu os crimes na mesma noite, momentos antes da prisão. 




Daqui a pouco vai ter que fazer isso aqui em Campo Grande.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 13/08/2014 10:59:53
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions