A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

06/10/2013 13:41

Controle rigoroso de bares diminui violência em Sete Quedas

Vinícius Squinelo

A intensificação na fiscalização e o controle rigoroso sobre o funcionamento de bares, lanchonetes e conveniências por parte da Polícia Civil, fez reduzir consideravelmente o número de ocorrências policiais em Sete Quedas, município que faz fronteira seca com o Paraguai.

Veja Mais
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Após deslizamento e risco a usuários, MS-295 é totalmente interditada

Segundo o delegado titular de Polícia Civil local, Dr. Rinaldo Moreira, em entrevista ao site A Gazeta News, a a redução se deu principalmente em relação a crimes de violência doméstica e desentendimentos por conta de bebida alcoólica, que terminavam em brigas com lesões corporais, tentativas de homicídio e até mesmo homicídios consumados.

De acordo com Dr. Rinaldo, além da fiscalização intensificada através de trabalho conjunto com a Polícia Militar local, o combate a estabelecimentos clandestinos e o total controle sobre os regularizados foram fundamental para a diminuição da violência.

Após serem catalogados, cada bar, lanchonete, conveniência e similares que funcionam em períodos noturno da cidade ganharam uma pasta na Delegacia onde é arquivado todo o histórico documental do comércio, ainda segundo a entrevista ao A Gazeta News.

Segundo o delegado, não é expedido, por parte da Polícia Civil, alvará de licença para funcionamento para nenhum estabelecimento que antes não apresente toda a documentação regular exigida por lei, entre eles, alvará da Prefeitura e laudo atualizado de vistoria técnica expedido pelo Corpo de Bombeiros atestando que o estabelecimento está dentro das normas exigidas para funcionamento conforme prevê a legislação.

“Por conta do valor da taxa paga anualmente e das exigências previstas em lei para funcionar além das 22 horas, muitos comerciantes, principalmente donos de pequenos bares existentes em regiões periféricas, onde ocorrem a maior parte dos casos de briga e violência doméstica, optam por tirar o alvará para funcionamento somente até às 22h.” informou Dr. Rinaldo Moreira ao ressaltar que esses estabelecimentos tem cumprido rigorosamente o horário estabelecido sob pena de terem que fechar suas portas em caso de desobediência.

Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...
Justiça bloqueia bens de ex-prefeito e mais oito por fraude em licitação
A Justiça Federal bloqueou R$ 1.743.189,84 em bens de Edvaldo Alves de Queiroz, o Tupete, ex-prefeito de Água Clara, a 198 quilômetros de Campo Grand...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions