A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

12/05/2011 12:30

Diálogo virtual expõe trapalhada que levou PF a assassinar policial militar

Marta Ferreira

Não fossem as consequências graves – um morto e dois feridos - e o episódio envolvendo um policial federal, uma guarda municipal e uma equipe do serviço de inteligência da Polícia Militar em Dourados poderia ser transformado em filme cujos personagens seriam homens da lei altamente atrapalhados. É o que revela a transcrição da conversa pela internet entre o policial federal Leonardo Pachedo, de 38 anos, e a guarda municipal de Dourados, Zilda Aparecida Ramires, de 44 anos, ocorrida no Dia das Mães.

Ela, que se identificou como Cláudia, achava que ele era traficante. Ele, usando o codinome Léo Preq vuetel, achava que ela era garota de programa. Ela quis prender um criminoso. Ele quis satisfazer sua libido.

Os dois se enganaram e o resultado disso foi a morte do policial militar Sandro Morel, 36 anos, o baleamento do também PM José Pereira e do policial federal, após uma intensa troca de tiros.

O tiroteio aconteceu depois de Zilda acionar os policiais militares para ir até a casa do suposto traficante. Chegando lá, ele abriu o portão do condomínio para ela, os três chegaram à porta do apartamento do agente da PF e tentaram de voz prisao ao até então criminoso, que respondeu com tiros.

O policial Leonardo Pacheco: preso após se envolver em episódio que parece filme sobre policiais trapalhões. (Foto: Reprodução)O policial Leonardo Pacheco: preso após se envolver em episódio que parece filme sobre policiais trapalhões. (Foto: Reprodução)
Trecho da conversa em que Leonardo, diante das perguntas sobre o que faz, diz ser traficante. (Foto: reprodução)Trecho da conversa em que Leonardo, diante das perguntas sobre o que faz, diz ser traficante. (Foto: reprodução)

Personagem-A transcrição da conversa revela que Leonardo tentou esconder sua profissão durante a paquera virtual e se classificou como traficante após Zilda condicionar à ida a seu apartamento à obtenção dessa informação.

Os dois se conheceram, segundo ela, 15 dias antes em um site de relacionamentos, não informado. Dali, trocaram seus endereços no comunicador instantâneno MSN, e lá o diálogo seguiu.

Primeiro, Leonardo mostrou fotos suas. “Não sou nenhum Gianequini (sic)”, escreveu. Na sequência, Zilda demonstra já saber que ele era casado.

Ao comentar sobre a mulher e o filho, que vivem fora de Dourados, Zilda se mostrou reticente quanto ao convite dele para se conhecerem pessoalmente. Ele fala claramente em sexo.

Pagamento em droga-Ela diz que, neste caso, em se tratando de alguém comprometido, só iria se fosse mediante pagamento. Diz que não é garota de programa, mas que para se envolver com homem casado tem que ganhar algo. “Você acha que vou sair com homens casados só por prazer”, afirma. Em outro trecho da conversa, ela diz trabalhar no comércio.

Zilda insiste para saber o que o Leonardo faz. Ele para que ela defina um preço do programa.

Diante da insistência, Leonardo afirma “sou traficante” e cita o fato de estarem em uma fronteira, onde isso é comum. Embora diga não acreditar no começo, Zilda pede então que o pagamento do programa seja feito em droga, para que ela possa repassar e ganhar mais.

Demonstrando acreditar que este valor será pago em produto, ela indaga que tipo de droga Leonardo teria em casa. Ele cita maconha. Zilda pergunta se ele não tem óxi, a novidade no mercado de entorpecentes.

O policial afirma que óxi é coisa nova e ela o classifica de “fraquinho”. Ele, usando a experiência profissional, explica que a droga é um subproduto da cocaína, e vale menos que maconha.

Como ela não fixa um preço, ele afirma que não pode ser “mais que 80”. Zilda, novamente dando a entender a crença de que receberá em maconha, diz que, então o “estoque é pequeno”.

Leonardo diz que não “guarda nada em casa”, e prossegue fornecendo seu endereço.

Ela questiona sobre o perigo de ir até a casa dele, que lembra a existência de muitos vizinhos. Zilda fala então, do temor em relação à esposa de Leonardo. “Ela está há mais de 1,5 mil quilômetros daqui”, ele devolve.

Ao final da combinação, Zilda pergunta se ele estará com o que combinou com ela e ele responde que estará com dinheiro.

“Ei, não vou te passar nada. Vou te pagar com dinheiro”, afirma taxativo.

A guarda municipal reclama que este não foi o combinado, reforça a intenção de receber em droga, e Leonardo afirma que ela entendeu dessa forma, mas que ele não disse que pagaria o programa com maconha.

Demonstrando impaciência,Leonardo encerra o diálogo virtual dizendo que informou que traficava maconha, mas não disse que a pagaria com maconha. Depois, conclui. “Bem, você tem meu tel, né. Se quiser mesmo me conhecer, me liga”.

A partir daí, a história já é conhecida. Leonardo foi preso em flagrante e indiciado por homicídio e por tentativa de homicídio. Ferido, ele estava sob custória da PF, até ontem, no Hospital Santa Rita.

Nascido em Belo Horizonte, Minas Gerais, ele está na PF desde 2008. A defesa dele já pediu o relaxamento da prisão, e a Justiça ainda não analisou.




Não se faz nada sem antes levantar direito o local para uma abordagem não ser no escuro como foi.
E foi no escuro pq achavam q tinham tudo na mão qdo não tinham.
Não se dá voz de prisão sem que o flagrante esteja na mão, ou sem mandado.
Não se adentra (invade) casa de ninguém só pela suspeição de algo.
Ou eles iam arrancar a confissao do local onde guardava a droga, sem q ninguém no condomínio percebesse nada?
O PF não deveria "brincar" de ser traficante, será q era só brincadeira?
Ele disse ser traficante e esperava por uma garota de programa.
Um policial morto e dois feridos foi no que deu o conjunto da obra.
Que custava acompanhar de verdade o sujeito que dizia ser traficante.
A cana podia ser muito boa qdo constatado o fato.
 
Marcelo Moraes em 15/05/2011 09:44:36
Antes de qualquer coisa temos que lamentar a morte do colega PM e todo o ocorrido. Pergunto aos q criticaram o PF.. Vc esta em cãs e chega uma mulher q disse ser prostituta com dois homens SEM FARDA ( pois eram P2) e dizem q vão entrar na sua casa.. E assalto... e se descobrirem q vc eh PF vão te matar.. o q vc faz??? Eh muito fácil criticar a atitude dele como policial mas na hora ali eu queria ver... a atitude dele como marido e pai e problema dele e da família dele... Esta tudo errado.. Guarda civil investigando qnd Nao era pra fazer isso.. PM (p2) investigando qnd sabemos q isso e trabalho da pop civil... aí da esse problema todo e o policial q estava em casa (traindo a esposa o q Nao e legal mas eh problema dele) recebe a visita de 2 paisanos que entram na sua casa SEM mandado, acreditando q ali ocorre um flagrante delito, o Federal levado a erro por achar q era assalto, se defende e eh preso por Homicidio??? tudo errado
 
Pedro augusto em 12/05/2011 10:52:03
A obrigação da PM é averiguar todas as denúncias que chegam até ela, e isso que foi feito.
Agora mesmo na internet como pode um PF se identificar como traficante? Isso não existe.
Mas vamos relevar haja vista na internet todo mundo é o que quizer ser.
Agora o PF disparar 5 vezes contra um colega de profissão após ele ter se identificado?? Ou tem algo a esconder, ou nem sei o que se passa em sua cabeça.
E aos que ficam achando engraçado, lembrem-se, ele morreu exercendo o seu dever de defender o cidadão e a sociedade, e o único número que vc vai lembrar quando estiver em uma situação de perigo é o 190.
 
Higor Gomes em 12/05/2011 03:33:58
Está histórinha está mal contada acho que ela foi la pra verificar outras coisas ai como deu errado ta falado que foi la pra prender o "traficante ", a policia não vai deixar isso deste jeito eles irão descobrir a fundo.
 
CARLOS DA SILVA em 12/05/2011 03:07:25
Quem mata agora é inocente????????? Se fosse pobre estaria preso.. Isso é justiça? .... colocar a culpa nos PMs ou GMs e bem titpico da trapalhada Policia Federal. - Instituição mais Corporativista no mundo. E se fosse o PM matado o PF, - A Instituição toda da PM estaria arruinada, agora é o contrário e nada se fala da formação da PF... Olha que o Governo Federal atraves da Comissão de Direito Humanos regularizou no final do ano passado a utilização da arma de fogo por integrantes de segurança publica federal.... O Agente esta totalmente errado.
Mas como vivemos num mundo de hipocrisia vamos culpar o Dias das Maes, o Jogo do Corinthias, a GM, a PM, menos a toda poderosa e seus funcionarios.
 
joao valadares em 12/05/2011 03:03:34
O nome já diz "guarda é guarda" e nâo POLÍCIA.....!!! Ae os outros "POLICIAIS" abraçaram a conversinha e o trampo da guarda e rodaram juntos!!!!!
 
José Barros em 12/05/2011 02:58:53
Em resumo, o mundo virtual é bom e ruim. Basta escolher.
 
Áttila Gomes em 12/05/2011 02:47:52
''É isso ai que dá, querer investigar sem saber por onde começar.kakakakakakakakaka''
Olha sinceramente não sei o que é o valor do brasileiro, pois quando a policia tenta produzir, independente do modus operandi, ela esta tentando fazer sua parte, pode ser até precipitação mesmo mas dai vir com humor negro e fazer esses tipos de comentários é não ter respeito com a memória do policial que tombou em serviço tampouco com a familia do mesmo!!!!! Mas respeito com as pessoas e com a Policia Militar.

 
junior banece em 12/05/2011 02:44:13
É isso ai que dá, querer investigar sem saber por onde começar.kakakakakakakakaka
 
Saraiva Zangado em 12/05/2011 01:43:55
Fico pensando na esposa desse cidadão, a quilômetros de distância, cuidando sozinha do filho, pensando que o marido está trabalhando, enquanto ele está de sacanagem com vagabundas. E lamento pela corporação a que ele pertence, por mais uma mácula pela má conduta de seus agentes, mas tb, quem manda fazer esses concursos decorebas? Só passa essa molecada, filhinho de papai que pode ficar em casa decorando letra de lei o dia todo porque não precisa trabalhar. Deu no que deu.
 
Amanda Reis em 12/05/2011 01:29:47
O Campo Grande News mostrou apenas o lado dos policiais um morto e dois feridos. E a guarda municipal, qual será a punição para ela ?? Se não fosse ela, o policial não teria morrido, e dois não teriam ficado feridos, além dela não ter a menor qualificação profissional para tal ato, já que pela CF sua fução é a fiscalização de bens patrimoniais municipais e nada além. Isso é uma palhaçada, demorou para acabar com a guarda municipal de Dourados, que anda usurpando as funções que lhe são atribuídas.
 
Juliano Paulo em 12/05/2011 01:23:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions