A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

14/05/2014 15:37

Em Jaraguari, servidores reclamam de salários abaixo do mínimo

Caroline Maldonado e Luciana Brazil

Servidores da rede municipal de ensino de Jaraguari reclamam que os salários dos setores administrativo e de serviços gerais não são reajustados há seis anos. Funcionários informaram que alguns dos salários do administrativo estão na base de R$ 727, ou seja, apenas três reais acima do salário mínimo, que é de R$ 724. Os funcionários lamentam que com os descontos acabam ganhando menos de um salário mínimo.

Veja Mais
Vereador é internado após AVC e boatos de morte causam confusão
Dupla é presa e confessa ter matado homem a pedradas e garrafadas

De acordo com os servidores entrevistados pelo Campo Grande News, o prefeito afirma que não há como aumentar os salários. Embora a prefeitura negue o aumento, segundo os funcionários, o Diário Oficial divulga todos os meses alguma nova contratação do município, nas áreas de educação e saúde, com salários acima do mínimo.

A presidente do Simteja (Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica de Jaraguari), Zenaide Centurião, confirma que desde 2008 não há reajuste salarial. De acordo com Zenaide, o sindicato sempre lutou pelos direitos dos servidores, no entanto, compreende que a prefeitura tem uma baixa arrecadação e por isso não consegue aumentar os salários.

Conforme a Secretaria de Administração, a prefeitura já começou um estudo junto às secretarias para reformar o PCC (Plano de Cargos e Carreiras) dos funcionários. O levantamento será enviado ao Legislativo, como projeto de lei, até o fim de maio, de acordo com a secretaria.

A secretaria admitiu a demora em reajustar o salário dos servidores da educação, porém, atrelou o problema ao ex-prefeito, José Neto Nogueira. Segundo a secretaria, por motivos de saúde, o ex-administrador teria se afastado do cargo, o que o impossibilitou de dar o reajuste. “Mas o estudo já começou e acreditamos que até o fim de maio esse projeto estará na Câmara. Tudo tem que ser feito com muita cautela, analisando as verbas municipais”, afirmou o assistente de administração, Luiz Alberto da Costa.

De acordo com Costa, o atual prefeito Vagner Gomes Vilela (PDT) autorizou contratações recentes, mas todas elas para serviços essenciais. O Simteja confirma a informação de que continuam sendo contratados novos funcionários. “São contratados servidores para limpeza, na educação e saúde, além de médicos e agentes de saúde, pois há pouquíssimos atuando. Agentes de saúde nós nem tínhamos aqui, mas por conta da dengue eles são indispensáveis”, afirma Zenaide.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions