A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

26/01/2011 16:50

Em Miranda, homem que matou fazendeiro se apresenta à Polícia

Viviane Oliveira
Antônio se apresentou hoje e confessou o crime. (Foto: Divulgadação)Antônio se apresentou hoje e confessou o crime. (Foto: Divulgadação)

Antônio Geraldo Alce, 39 anos, se apresentou hoje (26) a Polícia Civil e confessou ter assassinado o fazendeiro Antero Ronaldo Castanharo, 60 anos, em Miranda, cidade distante 201 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com a assessoria da Polícia Civil, ele se apresentou hoje na parte da manhã acompanhado de uma advogada e levou a arma do crime, um revólver calibre 38.

Para a Polícia, ele disse que só atirou porque achou que Antero estava armado no momento em que discutia com a ex-mulher, Sandra Mara Figueiredo.

Antônio é capataz da fazenda de Sandra e confessou o crime. Ele está preso na Delegacia de Polícia Civil de Miranda.

O crime - O Fazendeiro Antero foi morto com três tiros por volta das 10h30 na manhã do último dia 22 na fazenda Jacutinga.

Conforme a Polícia, o crime ocorreu porque o gado da ex-mulher Sandra estava pastando no corredor que dá acesso a fazenda de Antero.

Segundo testemunhas, a vítima desceu do seu carro e foi tirar satisfação com Sandra, quando Antônio chegou armado e atirou em Antero.

Após os tiros a vítima entrou em sua caminhonete e andou por 50 metros em busca de ajuda, mas não resistiu aos ferimentos e morreu antes de chegar ao hospital. Antero foi atingido por três tiros, um na região do pescoço, outro no braço e na mão.

Segundo testemunhas, Antônio recebeu apoio de Sandra para fugir do local. Eles saíram da fazenda no carro de Sandra.

De acordo com o delegado Edson Luís Ruiz, a princípio, a esposa Sandra não tem relação com o homicídio, mas será analisado se houve omissão de socorro.

Será investigado se ela ligou para os serviços de emergência e porque não ajudou o ex-marido.




A mulher levou o capataz ao encontro do ex-marido e o capataz matou o fazendeiro.Em seguida o assassino entrou no carro da patroa e ambos fugiram do local do crime.A mulher deixou o criminoso em algum local e foi se apresentar a policia,mas não disse o paradeiro do peão.Alem de presenciar o crime ainda deu fuga ao homicida.Aí vem delegado, num pré-julgamento,dizer que a rica e enfluente fazendeira não tem nenhuma participação na trama...!!!O delegado de Miranda não vê aí,nenhuma participação da enfluente fazendeira da região, no crime.Co-autoria, é crime,doutor! Cumplice! Omissão de socorro! Vai sobrar pro bobão do autor dos disparo. Cidade do interior parece que ainda quem manda,no juiz, no padre e no delegado, são os "coronéis"!
 
samuel gomes -Campo grande em 27/01/2011 09:50:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions