A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

17/10/2011 15:47

Enfermeiro que fez aborto em Marielly tem liberdade negada novamente

Nadyenka Castro

Juíza negou pedido de revogação de prisão preventiva e também desmembramento da ação penal

Jodimar nega envolvimento no caso e continua preso. (Foto: Simão Nogueira)Jodimar nega envolvimento no caso e continua preso. (Foto: Simão Nogueira)

Acusado de fazer o aborto que resultou na morte de Marielly Rodrigues, o enfermeiro Jodimar Ximenes Gomes teve a liberdade negada mais uma vez.

Além de manter Jodimar na prisão, a juíza Silvia Eliane Tedardi da Silva, de Sidrolândia, negou o pedido da defesa dele para desmembrar a ação penal.

O advogado do enfermeiro, David Moura de Olindo, pediu à Justiça a revogação da prisão preventiva e também a separação do processo alegando que Hugleice da Silva, o outro acusado da morte da jovem, agora em liberdade, “não teria mais interesse no desfecho da ação penal”.

A magistrada negou as duas solicitações justificando que não há elementos legais para o desmembramento do processo e que a prisão é necessária para garantia da ordem pública e instrução da ação penal.

“..., para a garantia da ordem pública, tendo em vista a repercussão do fato nesta comarca, aliada a necessidade de preservar a instrução processual, uma vez que o acusado teria ameaçado testemunhas fundamentais ao caso, tendo uma delas, inclusive, feito um boletim de ocorrência desta ameaça”, fala a juíza em sua decisão.

A magistrada ainda mandou juntar à ação penal declarações feitas à Polícia por uma testemunha e declarou que a primeira audiência sobre o caso será marcada após a apresentação da defesa preliminar de Hugleice, que ainda está em prazo.

Jodimar é acusado de ter feito aborto em Marielly a pedido de Hugleice, que era cunhado da jovem. O enfermeiro nega envolvimento com o caso. Já Hugleice, testemunhas e outras provas indicam que ele recebeu R$ 500 para fazer o procedimento que terminou com a morte da universitária.

A estudante saiu de casa, em Campo Grande, no dia 21 de maio e desde então não foi mais vista. A família, inclusive Hugleice, saiu a procura da jovem e pediu ajuda de órgãos públicos.

O corpo de Marielly foi encontrado no dia 11 de junho em um matagal em Sidrolândia. Investigação da Polícia Civil indicou que a universitária morreu em decorrência do aborto feito na casa de Jodimar, a pedido de Hugleice.

Os dois foram presos em julho e após a primeira noite na cadeia, Hugleice ‘começou’ a confessar a participação. Ele, que na época era casado com a irmã de Marielly, contou que teve relacionamento sexual com a jovem e que a levou até a residência do enfermeiro. Revelou ainda que ele e Jodimar levaram o corpo até o matagal.

Hugleice teve a liberdade determinada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Já Jodimar, que continua a negar o caso, continua na cadeia.




Sou advogada e vejo muitos fatos que estão deixando passar em branco, bem como provas que nao batem, no caso de jodimar ja tem passagem, então esta pecando no erro outra vez, e pelo que acompanhei a questão do cunhado, ele esta escondendo alguem, veja a policia nunca demonstrou nada afirmante em provas contra ele, ate o presente momento, a juiza o manteve preso, pelo clamor popular, estranho
 
carol milranda em 18/10/2011 12:39:41
A corda sempre arrebenta nos mais fraco, é o caso do Jodemar que ainda está preso. Na minha opinião os dois teriam que ficar muitos anos presos para pagar o que fizeram com Marielly. O safado do cunhado está solto, com certeza irá aprontar mais com outras meninas novamente já que foi previlegiado pela justiça brasileira . Hoje em dia , perde só quem morre, porque os malandros têm suas regalias .
 
Lucimar dos Reis em 17/10/2011 05:42:58
Concordo com o seu comentário - Daiane Esquian, o tal Hugleice, também deveria continuar preso. Na minha opinião, ele foi o maior responsável por tudo. Em vez de assumir o envolvimento com a cunhada e amparar o futuro filho - preferiu "se livrar do problema" - acabou criando uma tragédia familiar, por pura covardia.
 
Joanne Pereira em 17/10/2011 04:25:05
A LEI QUE TEMOS NO BRASIL ESTA DE PARABENS,E UMA VERGONHA O CUNHADO ACABOU COM A VIDA DA MENINA DESMORONOU A FAMILIA E AGORA ESTA EM LIBERDADE O QUE ELE TEM,QUE O ENFERMEIRO NAO TEM ELE DEVERIA ESTAR PRESO JUNTO COM O ENFERMEIRO
 
selma santos em 17/10/2011 04:22:20
CONCORDO COM VC DAIANE, POIS O CUNHADO TEM O MESMO ERRO QUE O ENFERMEIRO, POIS ELE ALÉM DE TUDO EU TENHO 90% DE CERTEZA QUE ELE ERA O PAI DESSA CRIANÇA, SE NAO QUAL SERIA O MOTIVO DE TANTA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO QUE ELE FEZ A MOÇA MORTA, NA VERDADE OS 3 FORAM CULPADOS, NAO É PQ ELA ESTÁ MORTA QUE VAMOS SANTIFICAR ELA.
 
roger costa em 17/10/2011 04:02:10
Acho muito engraçado essa lei o cunhado tbm nao podia estar em liberdade pq ele errou, e ajudou em tudo os dois tinham q ficar presos agora o cunhado coitadinhu conseguiu sair....
 
Daiane Esquian em 17/10/2011 03:52:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions