A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

18/11/2011 12:37

Entidade do Reverendo Moon promete início das obras de mega hospital em 2012

Paula Vitorino

Hospital deve começar a ser construído em meados de 2012, com entrega prevista em 30 meses. Área deve ser de 80 mil hectares, com direito a 150 leitos e até SPA

Maquete do Hospital projetado para Guia Lopes. (Reprodução)Maquete do Hospital projetado para Guia Lopes. (Reprodução)
Leito do hospital, conforme projeto. Leito do hospital, conforme projeto.

Com projeto ousado e investimento previsto de R$ 58 milhões, as obras do Hospital Ishin Brasil devem começar até julho de 2012, em Guia Lopes da Laguna. A previsão de entrega é de 30 meses, a partir do início da construção.

O empreendimento e o cronograma são promessas do Instituto Nova Esperança, ligado à Igreja da Unificação, criada pelo Reverendo Sun Myung Moon.

O hospital seria um desejo de Moon desde 1996, quando chegou em Mato Grosso do Sul para instalar sua Igreja, na região de Jardim. Mas só no ano passado o projeto começou a sair do papel e agora parte para as últimas definições antes do início das obras.

“É uma obra grande, em parceria com várias instituições, e que vai beneficiar a população de toda a região sudoeste do Estado, cerca de 120 mil pessoas. O hospital é inspirado no desejo do Reverendo”, diz o diretor-presidente do Instituto, José Albuquerque de Almeida.

A construção do empreendimento e a maior parte do investimento, avaliado inicialmente em R$ 58 milhões entre obras e equipamentos, é por parte de um grupo de médicos do Japão, onde já existe um Hospital Ishin. No Brasil, a instituição mantenedora será a Nova Esperança.

De acordo com o projeto, o empreendimento prevê ocupar uma área de cerca de 90 hectares, com direito a ala hospitalar, um SPA de nível internacional, residências e, a longo prazo, uma universidade de medicina.

Serão 150 leitos hospitalares e cerca de 90 dedicados ao SPA. Almeida explica que ainda não foi definida a quantidade de residências que serão construídas e se servirão de moradia para os médicos do hospital.

Os atendimentos hospitalares serão 60% destinados ao SUS (Sistema Único de Saúde) e o restante para pacientes com convênio de saúde ou particular.

Almeida ainda esclarece que o local pretende ser um hospital escola, com convênio entre universidades para o atendimento de residentes. Os investidores também estudam a possibilidade de instalar mais um audacioso empreendimento no local: uma faculdade de medicina.

“A universidade é algo que foi cogitado, mas ainda não tem nada de concreto. Seria uma obra para o futuro, alguns anos depois que o hospital já estiver funcionando”, esclarece.

Com anel da Igreja no dedo, mototaxista comemora construção do hospital. Com anel da Igreja no dedo, mototaxista comemora construção do hospital.

Atendimentos - Os atendimentos devem ser feitos por médicos conveniados ao SUS e particulares, contando com profissionais também do Japão. Os aparelhos utilizados também devem contar com a tecnologia japonesa, além da presença da medicina natural do oriente.

Almeida ressalta que o hospital irá suprir a demanda de pacientes de alta e média complexidade na região, que antes eram levados para hospitais da Capital.

Segundo a entidade, serão cerca de 120 mil moradores beneficiados diretamente com o empreendimento, incluindo as 8 cidades da região sudoeste – Bonito, Bela Vista, Caaracol, Guia Lopes, Jardim, Bodoquena, Nioaque e Porto Murtinho.

O hospital deverá atender cerca de 30 especialidades, entre os atendimentos nas UTIs adulto e neonatal, maternidade, cardiologia, neurologia, cirurgia plástica e outros. Também serão disponibilizados exames de radiografia digital, tomografia, mamografia, ressonância magnética e outros.

Almeida ainda chama a atenção para os benefícios que o empreendimento deve trazer para o setor turístico da região, que engloba pontos visitados por moradores de todo o mundo.

“Os serviços providos por este hospital serão um importante ingrediente no marketing turístico internacional, oferecendo segurança na atenção à saúde, sobretudo, nos procedimentos de urgência ligados ao trauma, neurologia e cardiologia”, diz.

Acertos - O hospital será construído na área rural de Guia Lopes, entre os quilômetros 8 e 9 da rodovia estadual MS-382, na saída para Bonito. A área total com aproximadamente 90 hectares só foi adquirida parcialmente até agora, mas o Instituto garante que até janeiro terá todo o terreno.

A doação do terreno é a contrapartida da Prefeitura Municipal de Guia Lopes, que já comprou e repassou para o Instituto 25 hectares, adquiridos por cerca de R$ 250 mil, em meados deste ano.

Uma área de 35 hectares aguarda desapropriação da Prefeitura para doação ao Instituto. O local pertence à Associação das Famílias para Unificação e Paz Mundial – nome da entidade criada pela Igreja do Reverendo na região –, mas só pode ser doado após a desapropriação, já que está penhorado devido as altas dívidas que a Associação deve na Justiça.

Para completar a área, um terreno de 18 mil hectares, que fica no meio das duas propriedades, também deverá ser comprado pela Prefeitura. A longo prazo, os investidores esperam conseguir mais uma área de cerca de 15 hectares, que ainda não tem previsão para ser adquirida, e completaria os cerca de 90 hectares.

O próximo passo após a doação dos terrenos será a licença ambiental para construção na área e aprovação do projeto.

“Quando o projeto de execução e a área estiverem acertados vamos solicitar a licença para instalar o canteiro de obras”, frisa.

A previsão é de que as autorizações sejam concedidas até abril para a instalação do canteiro de obras no local. A pedra fundamental foi inaugurada em julho deste ano, em solenidade com diversas autoridades do Estado.

A próxima etapa para o funcionamento do hospital será o convênio com os médicos particulares e o SUS.

Reverendo Moon e sua esposa, líderes da Igreja, em quadro na casa dos fiéis. Reverendo Moon e sua esposa, líderes da Igreja, em quadro na casa dos fiéis.

Pendências - Entre os moradores da região a construção do hospital é bem-vinda, como para o mototaxista Vicente de Paulo Pinho, de 50 anos. "Vai ser muito para todos nós, e é a realização do sonho do Reverendo, ele já se preocupava com a população daqui", diz.

Ele é membro da Igreja há cerca de 20 anos e ajuda nos trabalhos da instituição, que tem uma família, sendo o Reverendo o "grande pai".

Mas muitos ainda duvidam do empreendimento, já que foram muitas as promessas de benfeitorias que a Igreja da Unificação fez na região desde que se instalou em Jardim.

“Prometeram faculdade, depois uma indústria de suco e nada foi para frente. A escola também quase fechou e as propriedades rurais que adquiriram estão praticamente abandonadas”, diz um produtor rural de Jardim.

Outro problema é a quantidade de dívidas acumuladas pela Associação, que adquiriu diversas propriedades em pouco tempo, mas várias estão penhoradas na Justiça por conta de processos judiciais, entre dívidas com advogados e infrações ambientais.

No entanto, o presidente do Instituto esclarece que a obra do hospital é independente da Associação, ou seja, é vinculada apenas ao Instituto Nova Esperança e ao grupo japonês de médicos.

Com isso, o empreendimento não corre o risco de ser “tomado” para pagar dívidas da Associação.

A Igreja criou a Associação para gerenciar todas atividades na região, entre elas a fazenda New Hope e um escola em Jardim. O Instituto foi criado em 2003 para cuidar especificadamente as ações ligadas a área da saúde, com a criação do Centro de Diagnóstico em Guia Lopes.

“O Centro é a atividade que até hoje dá certo e o hospital será mais uma realização de sucesso. É um empreendimento que só vai trazer benefícios para todos e, portanto, não tem porque torcerem contra”, frisa Almeida.

O Centro de Diagnóstico atende mensalmente cerca de 350 pessoas, sendo 10% dos atendimentos totalmente gratuitos e cerca de 30% pelo SUS.

Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...
Justiça bloqueia bens de ex-prefeito e mais oito por fraude em licitação
A Justiça Federal bloqueou R$ 1.743.189,84 em bens de Edvaldo Alves de Queiroz, o Tupete, ex-prefeito de Água Clara, a 198 quilômetros de Campo Grand...



Muitos falaram de um mundo de servir a Deus e cometeram erros, esse homem foi acusado de forma injusta, não vamos deixar acusarem um homem da paz como fizeram com jesus. não. Se você lêr a autobigrafia dele. Um cidadão do mundo que ama a paz sabera o q estou falando. e depois leia principio divino e você não se arrependera. sera edificante para sua vida. mansey!
 
josiane de pichardo em 29/01/2012 03:37:33
Gente vamos acordar. Não entendo por que um prefeito investir tanto num projeto no papel, sendo que são inúmeras as intenções obscuras desse grupo. Porque não usaram a faz. new hope que está abandonada sem precisar comprar área nenhuma, Por que não investir esses valores na cidade. Quem vai manter tudo isso? mais um elefante branco.
e a Câmara aprova um gasto desse? affff... $$$$
 
Sonia Maria em 20/11/2011 12:10:48
SENSACIONAL noticia,,,,VAMOS todos apoiar essa iniciativa, assim como aquele fazendeiro esta fazendo pelo hospital do cancer de Campo Grande, o rev.moon esta fazendo para região sudoeste, tomara que agora apareça alguém para o bolsão, pantanal e dourados.Atitudes assim desses homens faz a gente nunca perder a fé em DEUS.
 
Pedro Souza em 20/11/2011 12:09:36
PARABENS MOON, EXEMPLO PARA NOSSA PRESIDENTA TOMA ISSO COM EXEMPLO E DOMINAR A AREA DE SAUDE NESSE PAIS,,POIS ESTA UMA VERGONHA.....E NOSSOS POLITICOS TODOS SO NA MORDOMINIA E SAFADAGENS...
 
FILADELFIO S E TERENCIO em 20/11/2011 08:45:15
No momento moro no Japão e tenho acompanhado de perto cada passo dado aqui para o andamento mais breve possivel de todo o processo para o inicio das obras do hospital ai em Mato Grosso. Quero agradecer o prefeito que tem se empenhado o máximo para que essa obra seja feita. ....parabéns ao Sakamoto e ao dr Sugahara e a todos aqueles que estão aqui no Japão lutando por esse bem maior para nosso povo
 
Irany Marques Queiroz em 20/11/2011 02:04:31
Quanto custaria o hospital e quanto vale 90.000 ha de terras naquela região? Não será mais um golpe, já que as terras do reverendo estão enroladas?
 
leny campos em 19/11/2011 09:29:27
olha o leito do hospital supera até unimed.. Poxa moon Faiz um hospital desse na capital ...
 
andre gomes em 19/11/2011 08:02:39
Excelente iniciativa destes orientais, investir na saúde do povo de uma país que não é sua terra natal demonstra amor verdadeiro a todas as pessoas sem distinção de raças e sem barreiras continentais! Parabéns e vamos apoiar este projeto!
 
Beatriz Montes em 18/11/2011 11:00:00
É de fato esse reverendo moon a muito vem investindo no brasil, e ninguém da o valor que devia, eu mesmo nunca vi um empresario ou lider religioso ter iniciativas que esse homem teve aqui nesse país.

Deveriam de dar mais apoio a ele e não querer tomar as fazendas que ele já tem na região. O brasil com esse empreendimento vai receber muitos turistas que sem duvida aquecerá a economina do estado!
 
Cristhian Bini em 18/11/2011 10:53:07
Interessante. Acho que com essa terra toda (doada pelo município) dá para plantar muita coisa. Esse SPA compreende alguma atividade agrícola?
 
Marco Chaves em 18/11/2011 09:51:09
Saio em defesa do atual Prefeito de Jardim-MS - seja em Jardim ou seja em Guia Lopes, qual o problema já que são tão proximas e irmãs tais localidades.
 
Pedro Navarro Correia em 18/11/2011 08:47:53
Parabéns a iniciativa da japonezada, só espero que não construam uma usina nuclear lá. Porque no japão depois daquele de fukugima coitado do povo japones vai precisar de muitos hospitais daqui a uns 10 anos.
 
jose carlos em 18/11/2011 06:34:42
Parabéns ao Instituto Nova Esperança e ao prefeito Jácomo de Guia L. da Laguna , o Sudoeste necessita dessa ação,pois possibilitará uma melhor qualidade do atendimento na saúde ao nosso povo e com certeza o ministro Padilha apóia . O que os jardinenses precisam saber é que este hospital poderia ter ficado em Jardim desde que o atual prefeito tivesse articulado doação da área. Uma pena.
 
Darlan B. Mougenot em 18/11/2011 04:04:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions