A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

07/07/2011 16:50

Estelionatário que agia em Três Lagoas é encontrado em Ponta Porã

Vanda Escalante

Uma das vítimas reconheceu o homem e chamou a polícia.

Robison André Honorato Munuera, conhecido como Branco, acusado de aplicar golpes em Três Lagoas e em Ponta Porã. (Foto: divulgação)Robison André Honorato Munuera, conhecido como Branco, acusado de aplicar golpes em Três Lagoas e em Ponta Porã. (Foto: divulgação)

Reconhecido por uma de suas vítimas, foi detido na quarta-feira (06), em Ponta Porã, o golpista Robison André Honorato Munuera, de 34 anos, conhecido como Branco. Proveniente da cidade de Lins, no interior de São Paulo, ele é acusado de aplicar golpes em Três Lagoas e em Ponta Porã.

Uma das vítimas, o dono de uma pousada em Três Lagoas, estava na fronteira a negócios e se deparou com o acusado. Imediatamente chamou a polícia e apontou Branco como estelionatário.

Robison foi encaminhado ao 2º Distrito Policial, onde teve seu nome checado pelo delegado adjunto Alexandre Amaral Evangelista. O policial descobriu então que havia dois boletins de ocorrência registrados em Ponta Porã pelo mesmo tipo de crime, sendo que uma das vítimas é menor de idade.

O golpe – Pelo que foi apurado, Branco passou algum tempo hospedado em uma pousada de Três Lagoas, e circulava na cidade com um catálogo de vários produtos eletrônicos, que “vendia” às pessoas que abordava, com promessa de entrega após a importação.

Eram notebooks, câmeras fotográficas, antenas parabólicas, netbooks, filmadoras, impressoras e equipamentos de informática, a preços atraentes, bem abaixo dos praticados no mercado. Branco coletava o “pedido” e deixava com o “cliente” um número de telefone celular para ser contatado.

Sempre dava como endereço a pousada, da qual dizia ser um dos proprietários. Quando questionado pelos “clientes” sobre a demora na entrega dos produtos, Branco justificava que as mercadorias estavam retidas no porto de Santos.

A partir daí, passou a pedir metade do valor dos objetos encomendados, para poder “retirar a mercadoria no porto”, sendo que receberia a outra metade no ato da entrega. Algumas pessoas acreditaram na história e deram dinheiro ao golpista.

Após fazer a “arrecadação”, Branco fugiu de Três Lagoas, deixando para trás várias vítimas e até as despesas de sua hospedagem na pousada. O que o marginal não contava era com o encontro casual com o verdadeiro dono da pousada em Ponta Porã.

Branco foi indiciado em inquérito por estelionato e liberado. Contudo, o delegado informou que pretendia pedir a prisão preventiva do acusado ainda nesta quinta-feira (07). O delegado acredita que com a divulgação da foto de Branco, outras possíveis vítimas apareçam. “Pode ser que haja pessoas que foram enganadas e ainda não sabem”, disse ele.

Dois homens são presos por suspeita de estupro de adolescentes
Dois homens foram presos por estupro de vulnerável em Laguna Carapã, 287 km de Campo Grande. Eles têm 28 e 24 anos e teriam tido relação sexual com a...
Dupla armada invade madeireira e rouba dinheiro do pagamento de funcionários
Dois homens armados invadiram uma madeireira e roubaram R$ 15 mil por volta das 15h30 de ontem (9) no Distrito Industrial de Dourados - distante 233 ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions