A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

13/08/2013 15:42

Estudantes ignoram recomendação do MPE e permanecem na Câmara

Viviane Oliveira
Estudantes estão acampados na Câmara Municipal há 45 dias. (Foto: Dourados Agora) Estudantes estão acampados na Câmara Municipal há 45 dias. (Foto: Dourados Agora)

Apesar de ter vencido, ontem às 17h, o prazo que o MPE (Ministério Público Estadual) estabeleceu recomendando a saída dos estudantes que ocupam a Câmara Municipal de Dourados há 40 dias, o procurador-geral do município, Alessandro Lemes, disse que hoje no final da tarde será assinado um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) e espera que os estudantes desocupem o prédio.

Veja Mais
MPE recomenda saída de manifestantes da Câmara de Dourados em 48 horas
Movimento pelo Passe Livre continua forte e ocupa Câmara há 35 dias

De acordo com o procurador, no TAC será estabelecido um estudo sobre o ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza) em 15 dias, se for viável o valor será repassado como desconto na tarifa de transporte público.

Ainda de acordo com ele, será estabelecido um prazo de 270 dias ou 9 meses para apresentar em definitivo junto a Câmara um projeto para o edital de licitação para contratar uma nova empresa de transporte municipal.

Além de ser mantido o Conselho Municipal de Trânsito, onde seis representantes do MPPL (Movimento Popular pelo Passe Livre) fará parte. “Vamos torcer que os estudantes desocupem o prédio depois de assinado o TAC”, diz o procurador.

Os acadêmicos lutam pela redução imediata da tarifa - de R$ 2,50 para R$ 1,80 - municipalização do transporte urbano, passe livre total e irrestrito, qualidade na frota de ônibus, aumento de veículos em linhas que atendem as aldeias indígenas da região.

O acadêmico de relações internacionais, Thiago Vieira, 27 anos, um dos lideres do movimento, disse que os estudantes só vão desocupar o prédio se a tarifa for reduzida. “O valor da passagem já deveria ter sido reduzida”, dispara Thiago.




Que coisa incrível, agora esses funcionários e vereadores??? querem trabalhar???, pois já teve matéria em que diziam que nem podiam mais tomar café ali, por causa das badernas??? e agora falam em serviço em trabalho?, mas me falem quando eles trabalham??? Eles vão sim na Câmara para entrar em rede social e ficar passeando o dia inteiro de carro, com o nosso dinheiro, porque tudo que é público é bom demais usar de graças, concordo tbém que esses estudantes deveriam ter mais senso de dignidade, porque não vão procurar alguma coisa pra fazer e ganhar dinheiro e não ficar mendigando transporte público, porque lembro que quando era criança meus pais e eu ralavam para ser alguém na vida, pois trabalhar e estudar nunca matou ninguém. Vamos parar e analisar bem a essência que tudo que fazemos!!!!
 
IRACELIA DAS GRAÇAS em 13/08/2013 18:08:16
Força!
 
ANDERSON EIFLER AJALA em 13/08/2013 17:51:43
Plácida, com todo respeito à sua liberdade de expressão, mas é com base em pensamentos como o seu que foram cometidas as maiores atrocidades da humanidade. O sistema político e financeiro atual só privilegia os endinheirados. O chamado desenvolvimento é para poucos. Isso tem que acabar. Parabéns aos estudantes de Dourados!
 
Anita Ramos em 13/08/2013 17:49:09
Tem que colocar o exército nas ruas para acabar com essas badernas. O cidadão não tem o direito de invadir um terreno baldio que dirá a Câmara. Não tem que dar passe livre pra ninguém. Tem é que dar condições das pessoas trabalharem e ganhar seu dinheiro com dignidade para poder pagar suas despesas. Se começarem a dar tudo de graça, como é que vai ficar nosso Brasil vai virar uma Grécia falida.
 
Placida Barros em 13/08/2013 17:01:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions