A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

12/05/2015 17:20

Famílias deixam casas e são recebidas a tiros ao tentar invadir área particular

Pelo menos cem famílias, as últimas a deixarem loteamento do “Minha Casa, Minha Vida”, tentaram invadir lote no Distrito Industrial, mas foram repelidas a tiros; três pessoas foram detidas

Helio de Freitas, de Dourados
Com criança no colo, mulher se afasta de local após ouvir tiros; famílias foram repelidas à bala ao tentarem invadir área no Distrito Industrial (Foto: Eliel Oliveira)Com criança no colo, mulher se afasta de local após ouvir tiros; famílias foram repelidas à bala ao tentarem invadir área no Distrito Industrial (Foto: Eliel Oliveira)

As famílias que no dia 11 de abril invadiram moradias do programa “Minha Casa, Minha Vida” em Dourados, a 233 km de Campo Grande, tentaram acampar em uma área particular próxima ao Distrito Industrial da cidade e foram recebidas a tiros.

Veja Mais
Prazo vence e PM tenta convencer famílias a deixarem casas invadidas
PM dá prazo até segunda para famílias desocuparem casas invadidas há 25 dias

A informação é do comandante da Polícia Militar na cidade, tenente-coronel Carlos Silva. Segundo ele, as famílias que saíram do residencial Dioclécio Artuzi III se dirigiram para esse terreno em ônibus, caminhões e carros de passeio, mas três pessoas que estavam em um barracão existente na área dispararam tiros para evitar a ocupação. Os autores dos disparos foram detidos pela PM.

O repórter fotográfico Eliel Oliveira, do jornal Diário MS e do Campo Grande News, acompanhava o deslocamento das famílias até a área quando houve os tiros. As pessoas detidas seriam funcionárias do proprietário do terreno e moram no local para cuidar do depósito existente ali.

Os tiros foram disparados para o alto, mas houve tumulto e correria. Após serem repelidos à bala, os sem-teto permaneceram nas margens de uma estrada do Distrito Industrial sem saber para onde irem. Policiais militares estão no local procurando mais armas.

Pelo menos 200 famílias tinham saído entre domingo e ontem e as demais deveriam sair das casas hoje. Vigiadas de perto pela Polícia Militar, algumas saíram de manhã e outras deveriam deixar o residencial até o fim da tarde.

A reintegração de posse do loteamento foi concedida no dia 14 do mês passado pela juíza da 4ª Vara Cível de Dourados, Daniela Vieira Tardin. Na quinta-feira passada, o comando da Polícia Militar se reuniu com representantes das famílias e deu prazo até ontem para que deixassem as casas.

Hoje de manhã, o comandante do 3ª Batalhão da PM, tenente-coronel Carlos Silva, informou que o batalhão de choque já estava de prontidão na Capital, caso as famílias se negassem a desocupar as casas, que ainda não tinham sido entregues pela construtora contratada pela Caixa Econômica Federal. Os contemplados com as moradias foram sorteados no ano passado.

Policial mostra munições apreendidas no barracão em área no Distrito Industrial de Dourados (Foto: Eliel Oliveira)Policial mostra munições apreendidas no barracão em área no Distrito Industrial de Dourados (Foto: Eliel Oliveira)
Mulher detida por suspeita de atirar em famílias sem-teto é colocada em viatura da PM (Foto: Eliel Oliveira)Mulher detida por suspeita de atirar em famílias sem-teto é colocada em viatura da PM (Foto: Eliel Oliveira)



Se a área a ser invadida fosse minha, eu agiria da mesma forma... Trabalhar eles não querem não né? Acham que é assim, ir entrando na propriedade dos outros e pronto? Vão trabalhar, conquistar o que querem e precisam. Depois que levam chumbo vão dizer que os errados eram os proprietários do lugar.
 
Mariana Carvalho em 12/05/2015 21:14:19
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions