A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

10/09/2015 19:31

Fazenda invadida em agosto, recebe outros sem-terra vindos do Paraguai

Renata Volpe Haddad
Fazenda começou a ser invadida em 21 de agosto. (Foto: Divulgação)Fazenda começou a ser invadida em 21 de agosto. (Foto: Divulgação)

Aproximadamente mil sem-terra estão ocupando a fazenda Saco do Céu, em Nova Andradina, distante 300 km de Campo Grande. Integrantes do Movimento Sem Terra, que não quiseram se identificar, estão acampados no local e informaram que o objetivo é pressionar o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) para obter a fazenda Furna, localizada próxima a propriedade invadida.

Veja Mais
Por lote da reforma agrária, sem-terra andam 80 quilômetros a pé
Sem-terra causam congestionamento de 4km na volta do feriadão na BR-163

Outros sem-terra vindos do Paraguai, chegaram nesta semana na fazenda, em três ônibus. A invasão da propriedade começou no dia 21 de agosto. Integrantes do MST (Movimento Sem Terra) temem pela segurança, já que esse grupo está armado e há possibilidade de mais sem-terra desembarcar em Nova Andradina para engrossar as ameassas. Com as novas pessoas, o total pode somar 5 mil invasores.

Os sem-terra acampam às margens das propriedades desde 2013. No ano passado, tanto a Córrego Fundo quanto a Furna sofreram com ameaças de invasão envolvendo integrantes do MST, até a invasão de fato no mesmo ano. Boletins de ocorrência com danos às propriedades e aos trabalhadores das duas fazendas, incluindo ameaças a vida de alguns deles, foram registrados.

A situação se acalmou depois que os proprietários garantiram na justiça a reintegração de posse das duas propriedades, mas as famílias continuam acampadas às margens da rodovia MS 141, às margens da fazenda Furna.

Cerca de mil sem-terra do Paraguai desembarcaram essa semana na fazenda. (Foto: Divulgação)Cerca de mil sem-terra do Paraguai desembarcaram essa semana na fazenda. (Foto: Divulgação)
Sem-terra querem pressionar o Incra para obter a fazenda Furna, localizada próxima a propriedade invadida. (Foto: Divulgação)Sem-terra querem pressionar o Incra para obter a fazenda Furna, localizada próxima a propriedade invadida. (Foto: Divulgação)



ATENÇÃO

O que está acontecendo é uma invasão do território brasileiro por paraguaios, eles se
passam por índios pois falam o idioma dos índios brasileiros que é o guarani, sendo que o
guarani é a língua nativa do paraguai, só que na verdade eles são campesinos(sem terra no paraguai).

O governo Federal precisa intervir urgente através do Exercito brasileiro
 
wild em 10/09/2015 21:47:27
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions