A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

28/05/2013 08:08

Fazendeiros barram técnicos da Funai que faziam demarcação em Ponta Porã

Paula Maciulevicius
Fazendeiro vai recorrer na Justiça Federal de Ponta Porã, pedindo anulação do processo de demarcação. (Foto: Dourados Agora)Fazendeiro vai recorrer na Justiça Federal de Ponta Porã, pedindo anulação do processo de demarcação. (Foto: Dourados Agora)

Nessa segunda-feira um grupo de cerca de 30 produtores rurais barrou a entrada de técnicos da Funai (Fundação Nacional do Índio) que faziam a demarcação de terra em Ponta Porã. Segundo o jornal Dourados Agora, o clima foi tenso e marcado por muita discussão. Os técnicos, escoltados pela Polícia Federal e Força Nacional, decidiram ir embora.

Veja Mais
Audiência pública exibe vídeo com cenas fortes sobre morte de produtor
Bacha defende pressão política contra invasões e lembra Vandré

As visitas da Funai começaram ainda no final de semana. No sábado, uma equipe esteve na fazenda El Shadai, às margens da BR-463, entre Ponta Porã e Dourados. A fazenda é uma das propriedades que estão dentro dos oito mil hectares de terras reivindicados pela Funai. O proprietário João Parizotto disse que não foi comunicado. “Eles simplesmente entraram e fincaram duas estacas em meio à plantação de milho. Quem presenciou isso tudo foi o meu filho”, disse.

Ontem a equipe da Funai voltou à fazenda e desta vez foi barrada. “Sem autorização da Justiça, eles não vão entrar em minha fazenda”, disse Parizotto. Segundo relatos do fazendeiro, desde 1999, quando um grupo de indígenas tomou uma área vizinha a dele, o clima ficou insustentável. “Acabou a paz na região, pois o clima de insegurança de lá para cá se tornou insustentável”.

O advogado de Parizotto, informou que vai recorrer na Justiça Federal de Ponta Porã, pedindo anulação do processo de demarcação. Ele terá o apoio dos produtores e do próprio Sindicato Rural. “Essas terras da região foram todas adquiridas de herança ou de compra legal. Somos trabalhadores e estamos cansados de conviver com esse descaso, de insegurança jurídica, de impasse”, reforçou o presidente do Sindicato Rural de Ponta Porã, Jean Paes.

Em 2011, o Governo Federal homologou a região como área indígena Jatayvari, também conhecida como Lima Campo, do povo Guarani Kaiowá, no município de Ponta Porã. Agora, após dois anos, a demarcação teve início. Cerca de 150 indígenas estão acampados em uma propriedade ao lado da fazenda El Shadai. A área estava em disputa judicial e atualmente pertence a um banco. Outra parte dos índios está acampada às margens da BR-463.

De acordo com o coordenador regional da Funai, em Ponta Porã, Silvio Raimundo da Silva, a demarcação vai continuar. “O Governo já reconheceu que a área é indígena e a informação que temos é que esse serviço de demarcação será realizado em Ponta Porã o mais rápido possível”, informou.




Vivemos dentro de um Pais onde impera um sistema que incentiva valores equivocados, deveríamos incentivar proprietários a empregar e produzir em suas propriedades mas aqui assistimos esta cena absurda onde o agricultor para manter a terra produtiva alem de viver uma luta desigual, passou também para o enfrentamento de manobras políticas, onde os invasores serão privilegiados com "Títulos de Propriedade", provavelmente aconteça também com as Tribos que estão se beneficiando das Bolsas Famílias. Não seria menos
complicado instalar estas tribos indígenas em áreas desocupadas e improdutivas? Acredito
que este proprietário esteja com seus impostos em dia, portanto diferente do que vimos noticiado a nossa CONSTITUIÇÃO deveria estar defendendo o seu direito de propriedade. Torso. por ELE.
 
Sandra Maria Portela Máximo em 16/01/2014 21:26:18
É um absurdo dizer que o índio não tem direito a terra, pois eles chegaram aqui primeiro que a gente. Sera que o correto era ter exterminado eles, ao invés de expropia-los ilegalmente de suas terras como foi feito? O que é certo e o que é errado? O índio não tem a visão de lucro da terra e faz seu uso só para o sustento. Ja o produtor se utiliza dela para produzir riquezas, contudo precisamos do produtor, mas temos que respeitar o direito dos indios.
 
gustavo em 29/05/2013 15:03:39
Vamos devolver o Brasil aos índios. Começando pela Bahia - São Paulo.....
 
L Maia Nantes em 29/05/2013 12:15:10
é um absurdo o que estão fazendo com esses fazedeiros...terras produtivas, com safra pra ser colhida e dar pra índios que não querem trabalhar...que falta de coerencia isso. Deve ser o fim dos tempos mesmo....coitados de nossos, bisnetos que estão pra vir...será que vai existir terras pra eles ainda????? Acho que a população vai ser só de índios, que doideira, eh....
 
maria antonia alves em 29/05/2013 11:53:04
Filme "Belo Monte: Anúncio de Uma Guerra.". Assistam e depois comentem.
 
Carlos Cesar em 29/05/2013 01:12:33
O indios querem mais terras sabe pra que? pra arrendar pra fazendeiros brancos, ai uns três ou quatro deles vão viver numa boa, enquanto o resto vão continuar passando fome.
 
Nilson André em 28/05/2013 18:35:54
Os terroristas de outrora que estão no poder continuam aterrozrizando, coisa que sabem fazer com perfeição e dessa vez usando um bando de indios irresponsaveis, bêbados, e preguiçosos... porque eles não vão la pro amzonas??? Ou para lugares onde ha matas, faunas... Não é isso que a FUNAI quer???. Terras produtivas nas mãos dessa gente e o memso que colocar dinheiro nas mãos do pródigo
 
carlos lima em 28/05/2013 15:39:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions