A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

01/10/2015 16:41

Fiscais flagram trabalhadores em condições degradantes e fecham lixão

Barracos de lona eram utilizados como alojamentos precários e 25 trabalhadores foram encontrados em condições insalubres

Helio de Freitas, de Dourados
Lixão de Fátima do Sul foi interditado por fiscais do Ministério do Trabalho (Foto: Divulgação)Lixão de Fátima do Sul foi interditado por fiscais do Ministério do Trabalho (Foto: Divulgação)
Barracos de lona eram usados como alojamento no lixão de Fátima do Sul (Foto: Divulgação)Barracos de lona eram usados como alojamento no lixão de Fátima do Sul (Foto: Divulgação)

Fiscais do Ministério do Trabalho interditaram o depósito de lixo a céu aberto da cidade de Fátima do Sul, a 246 km de Campo Grande. De acordo com a chefe do setor de Inspeção do Trabalho em Dourados, Auzenir de Jesus Caetano, além de irregularidades no serviço de separação de material reciclável e nos equipamentos, foram constatadas situações degradantes, já que existiam barracos de lona utilizados como alojamento.

Veja Mais
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Condutor abandona veículo carregado com 800 kg de maconha na BR-163

Em nota distribuída nesta quinta-feira, Auzenir Caetano afirma que a investigação começou no dia 24 de setembro e se prolongou até terça-feira (29), quando as empresas que atuam no local e o município de Fátima do Sul receberam o termo de interdição.

Situação degradante – Durante as inspeções foram encontrados 25 trabalhadores em condições insalubres, em contato direto com o lixo, sem uso de equipamentos de proteção individual, sujeitos a acidentes de trabalho, bem como a contrair doenças em virtude da exposição a materiais orgânicos, além da existência de animais, como ratos, sapos, cobras, moscas e urubus.

Conforme a chefe da fiscalização do Trabalho, 20 trabalhadores estavam alojados em barracos de lona “de modo precário e improvisado, sem qualquer higiene, sem instalações sanitárias e sem fornecimento de água há quatro dias”. Os barracos estavam ocupando o mesmo espaço do depósito do lixo urbano, sem qualquer limitação ou separação.

Máquinas e equipamentos utilizados para separação dos materiais também estavam irregulares, “podendo ocasionar esmagamento e aprisionamento de segmentos corporais, além de outros tipos de acidentes de trabalho”, afirma Auzenir Caetano.

Negligência – Os auditores avaliaram a situação encontrada no lixão de Fátima do Sul como “nítida negligência” em relação às normas de segurança por parte das empresas, bem como “conivência e descaso por parte do município, que tolera e até permite a instalação de alojamentos precários naquela área”.

Auzenir informou que para suspender a interdição o município e as empresas que atuam no local deverão tomar providências para regularização do ambiente de trabalho, dos equipamentos e alojamentos e solicitar nova vistoria do Ministério do Trabalho e Emprego.

Prefeitura nega interdição – Em nota ao Campo Grande News, a assessoria de imprensa informou que o lixão não foi interditado, mas “a utilização dos maquinários que estavam sendo empregados pela associação de reciclagem para separação, compactação e transporte do material recolhido”.

Conforme a prefeitura, a interdição ocorreu porque o maquinário não obedecia às normas de segurança estabelecidas pelo Ministério do Trabalho e permanecerá até que a associação providencie a regularização.

“O município de Fátima do Sul foi convocado para essa reunião por ser dono da área utilizada e possuir a obrigação de impedir que a execução dos trabalhos da associação prossiga naquele local sem que antes haja essa regularização”, afirmou a assessoria do prefeito Junior Vasconcelos (PSDB).

Segundo a prefeitura, as pessoas que trabalham na coleta de material reciclável possuem vínculos exclusivamente com associação.

Trabalhadores eram mantidos em condições degradantes, segundo relatório de fiscais (Foto: Divulgação)Trabalhadores eram mantidos em condições degradantes, segundo relatório de fiscais (Foto: Divulgação)
Carreta da Justiça realiza 368 atendimentos na terceira etapa do projeto
Em oito dias de atendimentos da Carreta da Justiça em Taquarussu - município localizado a 332 km de Campo Grande -, o projeto do TJ-MS (Tribunal de J...
Sidrolândia comemora aniversário com 'balada cristã' e jogos do Operário
Sidrolândia - cidade localizada a 71 km de Campo Grande - completa no domingo (11) 63 anos de emancipação e vai receber várias atrações para comemora...
Mesmo algemada, mulher usa isqueiro e coloca fogo em viatura policial
Elaine Cristina da Silva de 37 anos foi presa na noite de ontem (8) em Sonora, distante 364 km de Campo Grande, por porte ilegal de arma. Porém, mesm...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions