A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

06/06/2013 10:24

Força Nacional ocupará acessos a aldeias e fazendas em Sidrolândia

Paula Maciulevicius e Evelyn Souza
Planejamento da ação foi apresentada pela Força Nacional e PM para Iagro, Funai e Seprotur. (Foto: Marcos Ermínio)Planejamento da ação foi apresentada pela Força Nacional e PM para Iagro, Funai e Seprotur. (Foto: Marcos Ermínio)

Por tempo indeterminado e nos pontos de acesso às aldeias e fazendas da região de Sidrolândia. É assim que a partir de hoje a Força Nacional vai atuar para garantir a segurança de terena e produtores rurais.

Veja Mais
Índios e moradores fazem protesto contra presença de Força Nacional
Reintegração é suspensa na Buriti, mas Força Nacional ficará em Sidrolândia

A decisão foi apresentada nesta manhã para Funai (Fundação Nacional do Índio), Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) e Seprotur (Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo) e Polícia Federal pelo Comando Geral da Polícia Militar e da Força Nacional. Ainda agora os pontos serão passados para a Famasul e durante a tarde, a estrutura do trabalho será esclarecida para lideranças indígenas na Secretaria de Assistência Social de Sidrolândia.

Serão 110 homens da tropa nacional trabalhando na área. Metade deles chegou ontem a Campo Grande, a pedido do governador André Puccinelli (PMDB) e o restante já estava atuando na região de fronteira, em Dourados e Ponta Porã.

Segundo o comandante geral da PM, coronel Carlos Alberto David dos Santos, o que as autoridades querem é evitar conflito. “Eles não vão trabalhar com reintegração, a nossa maior intenção é levar tranquilidade para a região e reestabelecer a cordialidade entre indígenas e produtores”, ressaltou.

Ontem, durante visita do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, foi suspensa a reintegração de posse na fazenda Buriti, em Sidrolândia. O acerto foi mediado pela Advocacia Geral da União. A contrapartida solicitada aos índios é a pacificação da área.

Tropa desembarcou ontem em Campo Grande.Tropa desembarcou ontem em Campo Grande.

Há mais de duas semanas Mato Grosso do Sul enfrenta uma onda de invasões de terra e tensão. Cansados de esperar por uma posição do governo federal, os terena decidiram pela "retomada" de áreas que já foram consideradas indígenas em 2001, mas não avançam no processo de demarcação por conta de recursos judiciais dos fazendeiros que contestam laudos antropológicos da Funai.

Hoje, o maior conflito ocorre em Sidrolândia, onde na quinta-feira passada Oziel Gabriel, de 35 anos, foi morto. As famílias entraram pela primeira vez na área em 2003. No dia 15 de maio deste ano voltaram à fazenda, mas foram retirados na base da força na quinta-feira, quando incendiaram a sede da propriedade do ex-deputado Ricardo Bacha. Um dia depois, ainda revoltados com a morte de Oziel Gabriel durante a desocupação, grupo retornou à area.

Nesta semana, outras duas fazendas da região foram invadidas e hoje a São Sebastião. Os fazendeiros dizem que estão se organizando para retirar o gado das fazendas de Sidrolândia, para evitar maiores prejuízos.

Atualmente, nas contas dos terena, além da São Sebastião e Buriti, a etnia já está acampada nas fazendas Água Doce, Lindoia, São José, Querência, 3R, Flórida, Santa Clara e Bom Jesus - que também pertence à família Curado.
Comunidade indígena e produtores rurais brigam pela posse de 17 mil hectares na região de Sidrolândia e Dois Irmãos do Buriti, a maioria terras administradas pela família Bacha.

Nesta terça-feira, a trama ganhou mais um capítulo, com o índio Joziel Gabriel, 34 anos, baleado no ombro. O tiro atingiu a coluna da vítima que permanece internada na Santa Casa. Segundo relatos indígenas, ele foi atingido por um segurança da fazenda São Sebastião, quando já chegava à sede. O disparo foi dado pelo ocupante de uma caminhonete prata.




a Força Nacional é para dizer que o governo federal esta fazendo alguma coisa, a Dilma foi avisada aqui em Campo Grande com a vaia que tomou, quando aqui esteve. A FN , vai coibir a resistência dos proprietários, fazer desarmamento dos produtores tornando mais vulneráveis e os índios seguirão nas propriedades, destruindo, queimando e cometendo crimes . Se um produtor queima uma arvore, é multado e responde por crime, indio queima e nada acontece desfia Juiz de direito e ninguém prende o criminoso. Será que a FN vai prender os bandidos que lá estão, e que estão chegando para a região, podutor tem residencia fixa, verifiquem essses índios se são todos da aldeias. É revoltante, e como vc chegar em casa e o ladrão permaneça no interior da mesma, vc tem que ir para onde? sem roupa, sem calçado.
 
Geraldo Lima em 07/06/2013 15:03:37
NÃO SEI PARA QUE FORÇA NACIONAL, SE TEMOS O EXÉRCITO, MARINHA E AERONÁUTICA, O LULA CRIOU ISSO, PARA QUE, NINGUÉM RESPEITA, A SEGURANÇA DESTE PAÍS, SÓ COM EXÉRCITO, MARINHA E AERONÁUTICA, CADE OS CIVIS, FIZERAM TANTAS GREVES, CONTRA O REGIME MILITAR, E AGORA, QUAL A MORAL QUE ELES TEM, SÓ VEREADOR, DEPUTADOS ESTADUAIS, FEDERAIS E SENADORES, SEM CONHECIMENTO DO PROGRESSO, PRESIDENTE CIVIL, SEM MORAL, E DAÍ, PROVEM QUEM SÃO VOCÊS AGORA, NINGUÉM RESPEITA MAIS NINGUÉM, ANTIGAMENTE TÍNHAMOS MEDO DA ONÇA, DOS BICHOS DO MATO, HOJE É DO PRÓPRIO SER HUMANO, DESINFORMADO, DAS LEIS, DAS OBRIGAÇÕES, DO CIVISMO, DA MORAL, DO PROGRESSO, VERGONHA UMA PAÍS COMO ESTE, COM TANTA FARTURA, MAS MORAL ZERO, SERÁ QUE O POVO, NÃO VEEM ISSO, BRASIL, SEM MORAL, É O QUE VEJO, SOMENTE DEUS, DARÁ UM JEITO NISSO, DITA
 
PEDRO BRAGA em 06/06/2013 17:02:27
Total apoio às polícias!
 
Vito Corleone em 06/06/2013 17:01:48
Cabe recomendar cautela às polícias federal, militares e civis, bem como à Força Nacional, nesse enfrentamento de MST, índios e quejandos, pois logo surgirá uma Comissão da Verdade 2.0, a acusá-los de terem praticado todo tipo de horror contra pobres inocentes que “pegaram em armas pela democracia”. Acorda, Brasil!
 
Gil Cordeiro Dias Ferreira, do Rio de Janeiro em 06/06/2013 14:31:23
pra esses indios, eles acham que é só chegando e tomando a terra e outros que se dane....não interessa se o fazedeiros comprou OU não a terra, azar dos fazendeiros....depois leva um tiro e ainda acha ruim... só por DEUS mesmo.
 
maria alves em 06/06/2013 12:01:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions