A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

16/05/2011 12:29

Fraude em Ladário incluía empresas fantasmas e combinação de preços

Aline dos Santos
Polícia Federal apreendeu documentos e dinheiro. (Foto: Anderson Gallo/Diário Online)Polícia Federal apreendeu documentos e dinheiro. (Foto: Anderson Gallo/Diário Online)

O esquema de fraudes na prefeitura de Ladário incluía combinação de preços e inserção de empresas fantasmas em licitações.

Nesta segunda-feira, a PF (Polícia Federal) deflagrou a “Operação Questor” e prendeu secretários municipais, servidores públicos e empresário. O prejuízo aos cofres públicos supera meio milhão de reais.

“Eles usavam combinação de preços e inserção de empresas fantasmas para beneficiar a empresa que já estava fechada com eles. Essa empresa vencia e repassava parte do dinheiro para o grupo. Temos funcionários públicos do alto escalão da Prefeitura de Ladário, inclusive secretários municipais envolvidos”, afirmou o delegado chefe da Polícia Federal de Corumbá, Alexandre do Nascimento, em entrevista ao Diário Online.

A PF apreendeu R$ 60 mil, em dinheiro, notas fiscais, documentos e dispositivos de armazenamento de dados de computadores. A prefeitura foi fechada para cumprimento dos mandados de busca e apreensão. Ladário é administrada pelo prefeito José Antônio Assad e Faria (PT). Ele não foi citado nesta operação, mas deve ser investigado.

Foram presos: Name Antonio Faria de Carvalho (Secretário Municipal de Finanças); Eliene Urquiza (Secretária Municipal de Educação); Candelária Lemos (Advogada Geral do Município); Márcio José Pimenta (Setor de Licitações); Samuel Molina (Contador); e Maria Helena Silva (Núcleo de Projetos da Prefeitura). A prisão é válida por cinco dias. Em Campo Grande, a PF prendeu um empresário.

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), as investigações iniciaram a partir de suspeitas de irregularidades na aplicação de recursos federais destinados à merenda dos estudantes da rede municipal de Ladário.

Em seguida, foi instaurado inquérito policial para investigação dos crimes de corrupção, fraudes em licitações, falsificação de documentos públicos e formação de quadrilha.

Generalizado - A Controladoria Geral da União também realizou fiscalização nas licitações e contratos da prefeitura de Ladário, entre 2008 e 2010, que envolviam recursos federais. Foram identificando irregularidades em todos os procedimentos analisados.

Sobrepreço, superfaturamento, direcionamentos e fraudes em licitações, conluio entre empresas e montagem de procedimentos licitatórios foram algumas das irregularidades encontradas. A situação foi verificada em todas as áreas investigadas: educação, saúde, saneamento básico, infraestrutura e habitação.

A operação também cumpriu 26 mandados de busca e apreensão em Ladário, Corumbá, Dourados, Campo Grande, Barão de Cotegipe (RS) e Maringá (PR).

A investigação durou mais de um ano e foi realizada em conjunto com o Ministério Público Federal e a Controladoria Geral da União.

A operação possui este nome em alusão ao administrador financeiro da antiga Roma, “Questor”, responsável pela coleta de impostos, supervisão do tesouro e da contabilidade do “Estado Romano”, função equivalente ao atual secretário de Finanças.

Operação da Polícia Federal prende secretários e servidores públicos
A “Operação Questor”, deflagrada hoje pela PF (Polícia Federal), atingiu o primeiro escalão da prefeitura de Ladário. Foram presos os secretários de ...
Operação da Polícia Federal contra fraudes fecha prefeitura de Ladário
Deflagrada nesta segunda-feira, a operação da PF (Polícia Federal) contra uma quadrilha acusada de fraudar licitações fechou a prefeitura de Ladário....
PF faz operação contra grupo que fraudou meio milhão em licitações
A PF (Polícia Federal) deflagrou hoje a “Operação Questor” contra uma quadrilha composta por funcionários públicos e empresários em Ladário. Seis pes...



ESSA SITUAÇÃO É GERAL NO BRASIL, POIS AQUI É LEI DE QUEM PODE MAIS, E QUEM PODE MAIS NESTE PAÍS SÃO OS POLÍTICOS ELEITOS, POIS SÓ SE ELEGE NESTE PAÍS, SE FIZER GRUPOS, E ESSES GRUPOS QUE DETERMINAM O FUTURO DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS, ISSO É FICHINHA, POIS CEM POR CENTO DAS ADMINISTRAÇÕES PÚBLICAS, SEJAM MUNICIPAIS, ESTADUAIS E FEDERAL, ESTA NESTA PODRIDÃO, É SÓ DEUS PARA DAR UMA SOLUÇÃO, COM A MORTE DOS MESMOS, CASO CONTRÁRIO, DIZ A LEI DE DEUS, INFELIZ DO HOMEM QUE ACREDITAR NO OUTRO, QUE DEUS DE INTELIGÊNCIA E SABEDORIA PARA TODOS OS HOMENS NO SENTIDO UNIVERSAL, QUE EXISTE OUTRO MUNDO, PENSEM NISTO, O QUE SE SEMEIA AQUI, COMEÇA SE COLHER AQUI E QUANTO MAIS LÁ, CONSULTEM A DEUS ANTES DE FAZER OU TOMAR QUAISQUER INICIATIVA, POIS DEUS ENCAMINHARÁ PARA O MELHOR CAMINHO.
 
PEDRO BRAGA em 17/05/2011 01:39:19
era pra ser mesmo, nas cidades onde passei numca vir uma tao abandonada como ladario, para ser ter ideia nao tem hospital nao ha maternidade nao existe cidadao nato , é pela receita que tem deveria ser exemplo de cidade do ms.
 
ADONIS APARECIDO DIAS em 16/05/2011 05:14:12
porque não olham as cidades de maior porte que ao inves de comprar veiculos e equipamentos esta alugando por preços muito alem do viavel, antes era cabide de emprego, agora e aluguel de carros e maquinas sem licitações ou com fraudes, onde será que esta nossos vereadores que não vê isso, sera que no bolso dos prefeitos!!!
 
alexandre viuque em 16/05/2011 04:26:27
eu fico intrigado com isso, porque pegam um pequena prefeitura e fazem esse tipo de operaçao, sera que isso nao e um sinal para as outras, porque sera que e so ladario que faz isso, esse empresario nao opera em outras cidades tambem, e outra nao e o tribunal de contas que faz essa investigaçao? mas nao sou contra essa operaçao de jeito nenhum.
 
luiz fernandes em 16/05/2011 01:08:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions