A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 25 de Fevereiro de 2017

15/09/2014 09:29

Funcionários da indústria de celulose fazem paralisação por reajuste salarial

Caroline Maldonado
Sindicalistas se reúnem com funcionário em frente a Fibria (Foto: Rádio Caçula)Sindicalistas se reúnem com funcionário em frente a Fibria (Foto: Rádio Caçula)

Para reivindicar aumento salarial, trabalhadores das empresas de papel e celulose Fibria e International Paper estão reunidos com representantes do sindicato da categoria em frente as unidades nesta manhã, em Três Lagoas, a 338 quilômetros de Campo Grande. Os sindicalistas conversam com os funcionários durante a troca de turno, segundo o Sititrel (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Papel e Celulose) e esperam que os dirigentes da empresa retomem as negociações, que começaram em julho deste ano.

De acordo com o presidente do Sititrel, Almir Morgão, a categoria quer aumento reajuste de 8,33% sobre o salário dos funcionários das fábricas de papel e de celulose da Fibria, da International Papaer e da Eldorado, empresas que têm unidades em Três Lagoas. Esse percentual significaria ganho real de 2% para a categoria, segundo o Sititrel.

Segundo o presidente da entidade, as empresas não aceitaram a proposta inicial da categoria que era de 10% de aumento salarial e apresentou contraproposta de 7% de reajuste. Esse percentual, afirma o sindicalista, significaria um aumento real de apenas 0,63%, por isso o sindicato quer continuar a negociação. “Em julho, nós pedimos 4% de almento real, mais o reajuste de acordo com a alta do Inpc (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do período, o que seria aumento de 6% e somando daria aumento real de 10%”, explicou Morgão.

O Sititrel espera com o ato de hoje sensibilizar os empresários a conceder, pelo menos, o reajuste de 8,33%. “A gente espera que os empresários chamem a gente para conversar, vamos aguardar isso. Hoje estamos aqui apenas para conversar com os trabalhadores e ver conseguimos um acordo mais justo, porque o que as empresas ofereceram está muito abaixo do que a gente reivindicou”, disse.

O presidente do Sititrel disse que a greve é algo que ocorreria em última instância, caso não seja feito um acordo entre as empresas e o sindicato. Segundo Morgão, o piso salarial dos funcionários da fábrica de celulose é de R$ 1.100, enquanto dos empregados da fábrica de papel tem piso de R$ 932.

Por meio da assessoria de imprensa, a Fibria informou que os sindicalistas se reúnem em frente a empresa de forma pacífica, conversando com os funcionários que chegaram para o turno que tem início as 8h. A empresa emitirá nota à imprensa, em breve, segundo a assessoria.

O Campo Grande News tentou contato, por telefone, com a International Paper, mas a atendente informou que não poderia passar o número da assessoria de imprensa e prometeu contato, mas até o fechamento dessa matéria não houve retorno. A Eldorado também entrará em contato, em breve, por meio da assessoria de imprensa.

Justiça absolve professor condenado a 61 anos por abuso sexual
O TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) absolveu o professor André Félix dos Reis, que havia sido condenado a 61 anos de prisão por estup...
Bêbada, mulher ameaça jogar própria filha na frente de veículos em avenida
Uma mulher de 26 anos, em visível estado de embriaguez, ameaçou matar a própria filha, de 4, jogando a criança na frente de veículos que passavam em ...
Jovem acaba espancado por bandidos ao tentar reagir a assalto em bar
Um jovem de 19 anos foi espancado por bandidos durante um assalto sofrido na madrugada deste sábado (25), em um bar de Três Lagoas (a 338km de Campo ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions