A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

23/07/2014 15:28

Governador promete medida de segurança e índios devem desbloquear rodovia

Viviane Oliveira
Governador durante encontro com lideranças indígenas da aldeia Bororó e Jaguapiru. (Foto: Marcelo Victor. Governador durante encontro com lideranças indígenas da aldeia Bororó e Jaguapiru. (Foto: Marcelo Victor.

O governador André Puccinelli (PMDB), prometeu durante reunião com lideranças indígenas na manhã desta quarta-feira (23), a instalação imediata de equipamentos de segurança na Perimetral Norte, no trecho entre a avenida Guaicurus e a rodovia MS-156. A via está bloqueada há 4 dias por um grupo de indígenas da aldeia Bororó e Jaguapiru, em Dourados, distante 233 quilômetros de Campo Grande. A manifestação começou no último domingo (20), após o atropelamento da indígena Lenilza Nunes, 42 anos, que morreu na segunda-feira no hospital.

Veja Mais
Para sensibilizar governador, indígenas relatam acidentes em rodovia
Governador recebe representantes de índios que bloqueiam rodovia há 4 dias

De acordo com o professor Laucídio Flores, a reunião foi positiva e acredita que a comunidade deve liberar ainda hoje a rodovia depois de ouvir a proposta do governador, que ficou de enviar amanhã um engenheiro no local para começar a implementação da sinalização na via. Serão instalados sonorizador - dispositivo que alerta a redução de velocidade em rodovias - sinalização na horizontal e na vertical e placas indicando que no trecho vive uma comunidade indígena. A velocidade que hoje é de 80 km/h, também será reduzida, para 60/km/h.

Quanto a construção de quebra-molas, o governador disse que o engenheiro vai analisar o local para saber se há necessidade. “Vamos ver se a promessa vai ser cumprida”, diz Valdemir Almeida, 31 anos, viúvo de Lenilza. O cacique da aldeia Bororó Galdêncio Benites relata que pouco mais de um ano de inauguração da Perimetral, construída pra tirar o tráfego pesado da região central, já foram mais de 30 acidentes e cinco pessoas morreram só neste ano. Os indígenas relatam ainda que o fluxo de pedestre na rodovia é intenso, pois de um lado da via fica as aldeias e do outro os comércios. “Não temos outra opção, no local há um movimento muito grande de pedestre e ciclistas”, afirma Galdêncio.

No final da reunião as lideranças foram presenteadas pelo governador. Cada um ganhou um kit de livros de divulgação do estado. No total, onze indígenas e presentantes da Funai (Fundação Nacional do Índio) participaram do encontro. "Agora, vamos tentar convencer o engenheiro de que há necessidade, também, de quebra-molas pelo menos no trecho onde o fluxo de pedestre é intenso, diz Valdemir. 

A perimetral norte inicia no entrocamento da BR-163, que dá acesso ao município de Fátima do Sul, corta a MS-156 e segue até o entrocamento da rodovia Guaicurus, de acesso à Cidade Universitária e aeroporto. A rodovia também dá acesso a BR-463. São pouco mais de 20 quilômetros de perimetral e parte dela passa por dentro das aldeias Bororó e Jaguapiru, onde não há nenhum tipo de redutor de velocidade.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions