A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Fevereiro de 2017

21/07/2014 20:43

Greve completa 4 dias e tem 90% de adesão, estima sindicato

Alan Diógenes
Greve já dura seis dias, pais e alunos já começam a sentir o reflexo da falta de aulas. (Foto: Ademir Almeida)Greve já dura seis dias, pais e alunos já começam a sentir o reflexo da falta de aulas. (Foto: Ademir Almeida)

Em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira (21) o Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) encaminhou novo ofício solicitando uma audiência com o prefeito Murilo Zauith, e realizou uma reunião e protesto nesta noite na Câmara Municipal de Dourados. A secretária de Educação Marinisa Mizoguchi informou que o que for decidido neste encontro de hoje a noite será uma decisão definitiva quanto à paralisação dos professores.

Nesta noite devem ser votados em regime de urgência os projetos encaminhados à Casa na semana passada pela secretária. A primeira proposta é a da Lei nº 832 do magistério, que refere-se à implantação do piso nacional de 20 horas, e a segunda é a da Lei nº 615, que refere-se ao reajuste de inflação dos 12 meses para os servidores administrativos. Conforme a secretária informou ao Dourados News na semana passada, as medidas já seriam implantadas a partir da competência de julho em caso de aprovação.

Conforme entrevista cedida ao Dourados News, o presidente do Simted, João Vanderley Azevedo,disse que a paralisação continua e com adesão massiva da maioria dos educadores que prestam serviço na rede municipal, que tem 45 unidades e atende a uma demanda de 27 mil alunos. “Continuamos com nossas tentativas do prefeito discutir as pautas da categoria e cumprir o que foi acordado. A adesão já compromete mais de 90% das atividades nas escolas, sendo algumas paralisadas totalmente e as demais parcialmente”, apontou Azevedo.

A mobilização de greve na rede municipal de educação de Dourados começou oficialmente no dia 15 deste mês, após ser definida em assembleia do sindicato. A secretaria municipal de educação diz não reconhecer a greve como algo oficial, e recomendou aos pais que encaminhem seus filhos às escolas, com a garantia da contratação de substitutos caso seja necessário.

O sindicato denunciou na semana passada a possibilidade de contratação de temporários ao MPE (Ministério Público Estadual), classificando como um ato ilegal. A decisão aconteceu após a secretaria afirmar que os professores que faltassem as aulas, teriam descontos na folha de pagamento.

A paralisação dos professores já dura quatro dias e os pais e alunos já começam a sentir o reflexo da falta de aulas. Provalvemente haverá um mudança no calendário letivo para que os alunos cumpram a aulas que não estão sendo ministradas durante a greve. Eles podem até ter que repor as aulas no período de férias.

Jovem morre ao ser atingido por cinco tiros quando chegava em casa
Gean Cláudio da Silva Santos, 19, foi surpreendido por atiradores e morto ao chegar em frente de casa, por volta de 23h30 deste domingo (19). O crime...
Homem dirige embriagado, pede para ser preso e arromba porta de delegacia
Homem, de 31 anos, foi detido em flagrante por dirigir embriagado, ter desacatado policiais e até pedir para ser preso na delegacia de Itaporã, cidad...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions