A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

18/06/2014 13:02

Hospital reclama de retenção de ambulância e Santa Casa diz que é protocolo

Bruno Chaves
Hospital do interior diz que só tem uma ambulância e que demora na liberação de veículo na Santa Casa prejudica atendimento local (Foto: Sidrolândia News)Hospital do interior diz que só tem uma ambulância e que demora na liberação de veículo na Santa Casa prejudica atendimento local (Foto: Sidrolândia News)

O Hospital Dona Elmíria Silvério Barbosa, de Sidrolândia, a 71 quilômetros de Campo Grande, diz que vem enfrentando problemas de retenção da única ambulância do município quando precisa transferir pacientes do interior para a Capital. A instituição afirma que a Santa Casa de Campo Grande recebe o paciente do interior, mas retém o veículo e a equipe médica, que só podem voltar à cidade de origem após a liberação do enfermo. O maior hospital, por sua vez, defende que o atendimento médico respeita protocolos.

Veja Mais
Lojas vão estender horário de atendimento durante o mês de dezembro
Esposa é presa ao tentar entregar pão recheado com maconha para detento

Conforme o site Sidrolândia News, o Hospital Dona Elmíria solicitou ao Conselho Municipal de Saúde de Sidrolândia que seja feita uma análise da legalidade dos fatos, que para a instituição são classificados como abusivos e corriqueiros. Conforme a diretoria da instituição, o motorista da ambulância recebe uma autorização para saída do veículo, que só pode ser assinada pelo médico que recebe o paciente após o atendimento.

Ainda de acordo com o site Sidrolândia News, o fato gera transtornos, uma vez que a cidade do interior possui apenas um veículo de socorro, que é utilizado para atendimento local, para a transferência de doentes à Capital e para auxiliar o serviço do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Como exemplo, a instituição lembra que no último dia 1º, a ambulância ficou “presa” na Santa Casa por cinco horas, equipada com médico, enfermeiro e técnico de enfermagem.

Dessa forma, o Hospital Dona Elmíria quer que o Conselho Municipal de Saúde de Sidrolândia forneça um documento para que quando a ambulância e a equipe médica do município forem à Santa Casa sejam “imediatamente” liberadas pela instituição.

Outro lado – Procurada pelo Campo Grande News, a Santa Casa informou, por meio da assessoria de imprensa, que o atendimento médico de qualquer paciente no Pronto Socorro respeita protocolos estabelecidos pela instituição.

Cada pessoa recebe uma classificação de risco quando procura atendimento médico no local, independente de onde ela venha. O ordem da consulta varia de acordo com a gravidade da situação, ou seja, pacientes mais graves são atendidos primeiro.

Para a Santa Casa, quem leva o paciente é responsável por ele. Por isso, é necessário aguardar o tempo do atendimento médico e dos exames, mesmo não sabendo quando tempo vai durar todo o processo.

Dessa forma, o acompanhante tem que ficar com o paciente até que o diagnóstico fique pronto e o médico da Santa Casa decida se libera ou interna o doente.

Lojas vão estender horário de atendimento durante o mês de dezembro
O comércio de Ponta Porã - cidade localizada a 323 km de Campo Grande - irá funcionar em horário especial neste fim de ano. Os horários e dias foram ...
Esposa é presa ao tentar entregar pão recheado com maconha para detento
A esposa de um detento de Itaquiraí, distante 410 km de Campo Grande, foi presa na tarde de ontem (7) tentando entregar um pão recheado com maconha p...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions