A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

06/04/2011 11:10

Após noite de tensão e tiros, índios deixam fazenda para evitar conflito

Aline dos Santos
(Foto: João Garrigó - 17/05/2010)(Foto: João Garrigó - 17/05/2010)

A noite foi de tensão entre índios e fazendeiros na fazenda Petrópolis, em Miranda. A propriedade, que pertence à família do ex-governador Pedro Pedrossian, foi ocupada na última segunda-feira. Os índios, que buscam a ampliação da aldeia Cachoeirinha, também ocuparam a fazenda Charqueada.

De acordo com o índio Valehe Terena, de 30 anos, havia rumores sobre ataque por parte dos fazendeiros. Segundo ele, por volta das 20h, grupo de fazendeiros, funcionários e pistoleiros foram ao local do acampamento indígena. “Ouvi uns cincos disparos. Nessa hora, a Polícia Federal chegou”, relata.

Segundo ele, o grupo permaneceu no local e ninguém foi detido. “Para não ter confronto, saímos de lá às 5h de hoje”, conta.

De acordo com o coordenador regional do Cimi (Conselho Indigenista Missionário), Flávio Machado, a PF orientou que os indígenas deixassem o local por falta de segurança. Hoje, por volta das 5h os terenas retornaram à fazenda Petrópolis.

A assessoria de imprensa da PF informou que a equipe que foi até Miranda ainda não chegou a Campo Grande, portanto não há detalhes da ação.

A portaria do Ministério da Justiça reconhecendo a área indígena é de 2007. Desde então, há uma guerra judicial e diversas ocupações em busca da posse das terras.

No ano passado, o procedimento administrativo de demarcação foi parcialmente suspenso por decisão liminar proferida pelo ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), em beneficio de Pedrossian.

A Funai (Fundação Nacional do Índio) chegou a depositar R$ 1,3 milhão em juízo, referente ao valor das benfeitorias. Mas os proprietários não aceitaram o acordo e recorreram.

Homem é esfaqueado e encontrado morto em frente de casa
Almir Caetano Lima, 39, foi encontrado morto com sinais de esfaqueamento na barriga, às 7h deste sábado (3) no bairro Cascatinha II em Sidrolândia, d...
Sobrinho mata tio com facada no coração e se entrega para polícia
Elpídio Corrêa Mendes, 39, foi morto esfaqueado pelo sobrinho, Tiago Corrêa Mendes, 20, na manhã deste sábado (3) em Naviraí, distante 366 km de Camp...



Justiça é Justiça ,Direito é Direito , Em Miranda ,Aquidauana e Anastácio , existe sim , terras que os índios terenas ,agricultores e enchadeiros , tomaram posse dessa extensa área desde o início do século 19 , exemplo vejam os nomes dos rio da região , são nomes de origem terena etc....e tal , e tem uma mapa realizado pelo engenheiro Arnaldo Estevão de Figueiredo , que demonstrava uma grande área , assim esta registrado no mapa "Antiga Aldeia Panadigo " e olha que esta fazenda era enorme , mas os velhos que tomaram posse desta área e depois documentaram etc....tal , se herdeiros foram vendendo e aquilo que era 300 mil hectares foi sendo vendido aos pedaços , e grana queimada , muito desta grana queimada pelo herdeiros foi em Miranda de Natal até o Carnaval ....etc....e tal , hoje são pequenas fazendas , terras que de acordo com a lei é de origem dos índios terenas , e muitos excessos foram requeridos por quem não tinha direito , da até para citar o nome de cada fazenda , bem os terenas sempre foram tratados como escravos ou semi-escravos ,trabalhadores , pau-para-toda obra , enquanto os índios trabalhavam os capatazes de fazendas , geralmente genros que casaram com a caipira rica , e seus filhos que nem sabia que a fazenda não eram de seu pai , mas do avô , bem não era do avô ,era dos índios terenas , que eram bem maltratados , quanta injustiça eu presenciei desde de minha infância , qualquer lugar pode-se achar cerâmicas de origem terena de acordo com sua cultura , gente, vamos pesquisar e procurar ser justo e perfeito , entreguem as terras dos terenas , só o tempo e gerações que foram ocupadas , e pelo preço simbólico pago na época ,já multiplicou muito ,certamente esses atuais ditos proprietários irão levar tudo isso no pijama de madeira ,no famoso sete palmos , ia esquecendo enquanto os falsos donos ficavam nas varandas e seus filhos , tudo na boa vida ,quem tirava o leite? quem arrumava as cercas ?quem cuidava do gado no Campo? etc......e tal , e diziam o índio é vagabundo ! é cachaceiro , etc....tal , e ainda alguns ditos fazendeiros que nunca foram , levavam verdadeiros bandidos para morar nas invernadas ,longe da sede , quando precisava de um serviço especial chamava o fulano ......alguém evoluía a óbito , e aquela fazenda que era de uma senhora velha doou para o neto , e esperto genro passava por dono , no final dos anos 1970 ,mataram índios até FAB esteve lá , é fato recente perante a história , e tem outra ,uma pessoa que na frente dos outros defende os índios levou toda contente ,´várias urnas funerárias e cerâmicas dos índios , só que foi achado segundo ela em terra de sua propriedade ,por herança e direito conjugal , está na hora desta pessoa ser honesta e colaborar com os terenas e não ficar só em proselitismo. Esta região realmente os terenas tem Direito , em tempo no século 19 , pesquisem qual era a área do município de Miranda .
 
Paulo Roberto Marques Pereira em 05/06/2011 12:59:49
Lembro de Pedro Pdrossian , de sua primeira campanha política o lema era " O TOSTÃO CONTRA O MILHÃO " na época ele era um simples funcionário da Noroeste do Brasil , jovem engenheiro , do outro lado o Sr Lúdio Coelho , filho de um grande proprietário rural de Mato Grosso , não existia MS, mas filmar no escuro , e descobrir onde está a tocaia , ou aqueles que sabem fazer bem feito uma casa caboclo ou uma quebra de milho , vamos quebrar milho , uma boa quebra de milho tem que ter muita pólvora e muito chumbo grosso , e isso não é nenhuma novidade , quero ver alguém filmar . " O cara espera aí um pouco não atire deixa eu arrumar os apetrechos ou celular para filmar e divulgar , ainda mais no escuro e mato e na beira de grota e barranco ou no meio da lagoa ou beira de lagoa , nem sucuri ,nem jacaré esperto fica perto ,mas antes do engenheiro Pedro Pedrossian , comprar esta fazenda já tinha rolo , de gente que segundo a memória dos não índios , era dos índios terenas , nesta os terenas tem toda razão ef direito . Justiça Já , por uma questão justa e perfeita .
 
Paulo Roberto Marques Pereira em 05/06/2011 01:26:58
Cara...
Com essa tecnologia toda. Tanto dos indígenas quanto dos "outros".
A pergunta q faço é: Porque não filmam?
Assim saberemos realmente se houve tiros, se estão falando em ataques e tal.
Chega desse negócio de disse-que-disse.
Filmem e postem.
Tem que parar com esse auê.
Sinceramente só acredito haverem tiros quando postarem filmagens.
 
Orlando Lero em 06/04/2011 11:42:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions