A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

25/08/2014 15:53

Índios estão sem água potável há quatro meses e pedem socorro das autoridades

Caroline Maldonado
Comunidade está sem água até para as tarefas básicas do dia a dia. (Foto: Divulgação/MPF)Comunidade está sem água até para as tarefas básicas do dia a dia. (Foto: Divulgação/MPF)

Há quatro meses, o poço artesiano que abastecia a comunidade indígena Arroyo Corá, localizada em Paranhos, a 469 quilômetros de Campo Grande, desmoronou e as famílias sofrem com doenças decorrentes da ingestão de água contaminada do rio Tubucu, segundo o cacique Dionísio Albuquerque. De acordo dom a liderança, as autoridades já foram informadas, inclusive o MPF (Ministério Público Federal), mas nada foi feito para soluciona o problema.

De acordo com um dos moradores, Otoniel Ricardo, boa parte das 1.600 famílias que vivem na aldeia está com diarreia e vômitos. “Principalmente as crianças estão passando muito mal e vão ao posto, mas não resolve porque continua tomando água suja”, contou o Kaiowá, que é membro da assembleia dos Guarani, Aty Guasu.

O poço feito pela Funasa (Fundação Municipal de Saúde), há cerca de 10 anos, agora é de responsabilidade da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena). Segundo Otoniel, a princípio estragou a bomba de água e mais tarde o poço desmoronou.

A única opção dos indígenas Guarani Kaiowá é usar a água do rio para higiene e para consumo. “Todos os dias, 24 horas por dia as pessoas tem que ir buscar água com balde e galão no rio, porque é o único jeito”, conta o cacique.

O consumo da água do rio preocupa a comunidade, pois podem haver vestígios de defensivos agrícolas no leito, segundo Dionísio. “Como tem lavoura da fazenda perto tem ainda esse risco”. A comunidade Arroyo Corá tem aproximadamente 1.600 pessoas, quem vivem em uma área de mais de 3 mil hectares, de um total de 7 mil que foi homologada, conforme Otoniel.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Sesai informou que deve se manifestar sobre o caso até amanhã (26).

Homem com facão faz três pessoas da mesma família como reféns em casa
Três pessoas foram feitas reféns em uma casa na rua Rio de Janeiro, Centro de Sidrolândia - cidade localizada a 71 km de Campo Grande -, na manhã des...
UEMS recebe a partir de segunda-feira congresso de pesquisadores negros
A UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) de Dourados - cidade localizada a 233 km de Campo Grande - recebe entre segunda-feira (23) e sáb...
Prefeitura decreta estado de emergência administrativa até março
A prefeitura de Nova Alvorada do Sul - cidade localizada a 120 km de Campo Grande - decretou nesta sexta-feira (20) Estado de Emergência Administrati...



Essa aldeia não é no município de Amambai.
 
PEDRO HUMBERT em 26/08/2014 08:02:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions