A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

27/10/2013 11:16

Índios invadem mais 2 fazendas em Japorã e ateiam fogo em uma delas

Bruno Chaves
Objetos revirados e destruídos em uma das fazendas invadidas pelos índios.Objetos revirados e destruídos em uma das fazendas invadidas pelos índios.
Restos de comida e objetos ao chão na cozinha de uma das fazendas, em JaporãRestos de comida e objetos ao chão na cozinha de uma das fazendas, em Japorã

Mais duas fazendas da região de Japorã – a 487 quilômetros de Campo Grande – foram invadidas pelos índios da etnia Guarani-Kaiowá entre a noite de ontem (26) e a manhã deste domingo (27). Em uma das propriedades, a família fugiu as pressas da sede e acabou se perdendo no matagal. Na outra, os indígenas atearam fogo na casa e destruíram móveis e objetos.

Veja Mais
Índios invadem mais 12 fazendas e criam novo foco de tensão no Estado
Pecuarista é multado em R$ 15 mil por desmatar 14 hectares de fazenda

Segundo o presidente do Sindicato Rural de Iguatemi, Hilário Parisi, o clima em toda a região está tenso. “É uma indignação tremenda. Sensação de impunidade. Eles entraram nas fazendas e não deixam os produtores nem retirar o gado e nem entrar no pasto para tratar dos animais. Todos estão saindo fugidos”, contou.

Hilário contou que o grupo indígena invadiu a Fazenda Pedra Branca por volta das 22h de ontem. “Na fuga, a família entrou no mato e se dispersou. Foi necessário ajuda da polícia para encontrá-los”. Já neste domingo, por volta das 9h30, foi a vez da Fazenda São José sofrer com os atentados indígenas, já que a sede foi incendiada.

“Eles invadiram a fazenda e bateram em duas crianças, filhas de um funcionário. Colocaram fogo na casa principal e destruíram tudo. O grupo ainda está armado com espingardas”, denuncia Itamar Vargo, proprietário da Fazenda São José.

O produtor ainda relatou que não teve a oportunidade de retirar o gado da área. Ele contou que chegou a carregar quatro caminhões com os animais, mas o comboio não conseguiu sair da área a tempo. “Ainda ficaram 600 cabeças no pasto, que precisam ser carregadas”.

Com as invasões das últimas horas, o número de propriedades ocupadas pelos Guaranis-Kaiowá chega a 14, conforme Hilário. Apenas a Fazenda São Jorge resiste a ocupação, pois um pequeno grupo de policiais federais permanece no local.

“O contingente da polícia é pequeno. Estamos em contato com a secretária Tereza Cristina [Seprotur - Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo] para que mais policiais federais de outras partes do Estado venham para cá. Ela está nos ajudando nessa intermediação”, diz.

Indígenas – Os indígenas da etnia Guarani-Kaiowa reivindicam há 10 anos a demarcação da área de 9,460 mil hectares, que fica próxima ao Rio Iguatemi, em Japorã. A Aldeia Porto Lindo, que fica ao lado da região das fazendas, possui cerca de cinco mil indígenas.

A invasão das propriedades começou há bastante tempo e até já houve conflito entre produtores e indígenas há 10 anos.

Ontem, a Polícia Federal de Naviraí foi até as propriedades para evitar que qualquer tipo de violência. Os agentes irão permanecer na região por cerca de 10 dias.




realmente aumentando, esses indios vindo do paraguai.., porque lá num tem invasão.. invadiu matam !! e todos sabem o que vai virar essas terras nas mãos dos indios,nada!!
 
Caio Prado em 27/10/2013 14:20:16
Não sei quem são os legítimos proprietários das áreas, ou se a situação dos proprietários tem amparo legal, etc. Conheço essa região da aldeia de Porto Lindo desde 1.992 e só sei o seguinte: há vinte anos havia ALGUNS indígenas que não falavam português, apenas espanhol e guarani; hoje há MUITOS indígenas ma região que SÓ falam espanhol e guarani. Seria de esperar que indígenas BRASILEIROS falassem português e guarani. Outra coisa: sempre que há distribuição de cestas básicas e outros benefícios, os acessos ao país vizinho, ficam tomados de indígenas, principalmente a chamada Linha Internacional, e na região há vários barracos que só ocupados nesses dias. Não seria o caso de investigar, de onde vem esse pessoal?
 
Adriano Roberto dos Santos em 27/10/2013 13:22:42
Enquanto o poder publico não resolver, devolver parte das terras originais aos povos indígenas que foram invadidas, griladas, nunca haverá sossego, pois as populações estão aumentado.
 
Carlos Lamarca em 27/10/2013 11:39:22
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions