A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

14/11/2016 10:18

Invasão de prédio da UFGD entra no 5º dia e universitários pedem donativos

Helio de Freitas, de Dourados
Estudantes que ocupam prédio da reitoria da UFGD reunidos na quadra de esportes (Foto: Direto das Ruas)Estudantes que ocupam prédio da reitoria da UFGD reunidos na quadra de esportes (Foto: Direto das Ruas)

A invasão do prédio da reitoria da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) estudantes universitários entrou no quinto dia hoje (14) e não tem previsão de quando vai terminar. Até agora a universidade não se manifestou se vai recorrer à Justiça para pedir a reintegração de posse.

Veja Mais
Após 10 dias, alunos acatam ordem judicial e encerram invasão na UFMS
Filmado arrancando faixa de protesto, professor avança sobre alunas

O protesto faz parte de mobilização nacional dos universitários contra medidas do governo Michel Temer, principalmente PEC (proposta de emenda constitucional) 55, para controle dos gastos públicos e que tramita no Senado, e a reforma do ensino médio.

Em Dourados, os manifestantes cobram também informações sobre os cortes de gastos adotados pela UFGD e mais participação nas decisões da universidade.

Donativos – Através da página do movimento “Ocupa UFGD” na rede social Facebook, os universitários pediram doações de alimentos e produtos de higiene e limpeza.

Eles solicitam tomate, proteína texturizada de soja, ovos, mandioca, carnes, pão, biscoitos e bolachas, frutas, legumes, folhas, suco e refrigerante.

Para higiene e limpeza, pedem água sanitária, desinfetante, detergente, produtos para limpeza de superfície, creme dental e sabonete.

A invasão do prédio, localizado na Rua João Rosa Góes, começou por volta de 22h de quarta-feira (9), após assembleia com a participação de pelo menos 240 estudantes.

Na noite seguinte, um grupo de acadêmicos contrários à ocupação foi até o portão da unidade – onde funcionam alguns cursos – e tentou entrar à força. Houve princípio de tumulto, mas o prédio continuou ocupado.

Ainda na sexta, duas alunas teriam procurado a polícia para denunciar um professor da UFGD por agressão. Ele aparece em um vídeo gravado por uma estudante arrancando faixas dos manifestantes. Em seguida empurrou a universitária, que chegou a cair.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions