A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

31/05/2012 14:41

Justiça afasta secretários e diretor de hospital de cargos em Corumbá

Aline dos Santos

Eles são alvos da operação que investiga desvio de dinheiro público e direcionamento de licitações

Com operação da PF, prefeitura de Corumbá ficou fechada hoje. (Foto: Anderson Gallo/Diário Online)Com operação da PF, prefeitura de Corumbá ficou fechada hoje. (Foto: Anderson Gallo/Diário Online)

Além da prisão temporária, a Justiça Federal determinou o afastamento de servidores da prefeitura de Corumbá. Eles são alvos da operação Decoada, realizada pela PF (Polícia Federal), que investiga desvio de dinheiro público e direcionamento de licitações.

Em Corumbá, foram presos o secretário de Finanças e Administração, Daniel Martins Costa; o ex-presidente da Fundação de Cultura e Turismo, Rodolfo Assef Vieira, que deixou o cargo para disputar as eleições; e a servidora Camila Campos Carvalho Faro. Em Campo Grande, foi preso o assessor de gabinete Carlos Porto. Ele já foi presidente da Fundação de Cultura do governo Zeca do PT e secretário na administração.

O secretário de Finanças e Porto foram afastados de suas funções. Conforme o Diário Online, a lista de afastamentos ainda inclui o secretário municipal de Saúde, Lauther Serra; diretor da junta interventora do Hospital de Caridade, Vitor Salomão Paiva; e os servidores Osana de Lucca, Márcio Androlage Chaves e Maria Vitória da Silva.

De acordo com o delegado da PF (Polícia Federal), Alexandre do Nascimento, as prisões e afastamentos foram por indícios de participação no esquema para lesar os cofres públicos. Ainda não foi determinado o tamanho do prejuízo, contudo, as fraudes envolvem milhões de reais em recursos federais.

Quebra-cabeça - A ação foi um desdobramento da operação Questor, realizada em maio de 2011, na prefeitura de Ladário, cidade vizinha a Corumbá. Na investigação, conforme a CGU (Controladoria-Geral da União), descobriu-se que maioria das empresas envolvidas na Questor é, atualmente, fornecedora, algumas de forma exclusiva, da prefeitura de Corumbá.

Na Questor, o crime consistia em montagem e manipulação de processos licitatórios, mediante a restrição ao caráter competitivo, falsificação de documentos para favorecer empresas fantasmas ou com vínculos com servidores da prefeitura de Ladário.

Na operação do ano passado, foram presas sete pessoas: seis servidores da prefeitura de Ladário e um empresário. Em ambos os casos, os desvios eram em de recursos destinados às áreas de Saúde, Educação e infraestrutura dos municípios. Ainda não foi oferecida denuncia à Justiça.

Decoada – Nesta quinta-feira, a PF cumpriu mandados de buscas e apreensão na prefeitura e hospital de Corumbá, além da prefeitura de Ladário. Ao todo, foram quatro mandados de prisão temporárias (válidos por cinco dias), 36 mandados de busca e apreensão e 28 de condução coercitiva.

As investigações, que duraram mais de um ano, foram realizadas em conjunto pela Polícia Federal, MPF (Ministério Público Federal), CGU (Controladoria-Geral da União) e MPE (Ministério Público Estadual).

A força-tarefa apontou a ocorrência de fraudes e direcionamentos em licitações, corrupção, desvio de recursos públicos e pagamentos de propina, com o envolvimento de servidores públicos municipais e empresários.

A operação foi batizada de Decoada em analogia ao fenômeno natural em que vegetação local entra em decomposição na seca, reduzindo o oxigênio da água. Como a corrupção, que asfixia a população.

Participam dos trabalhos cerca de 100 policiais federais, 16 servidores da CGU e quatro policiais da Força Nacional de Segurança Pública.

Sem salário – Previsto para ser liberado na tarde de hoje, o salário dos servidores públicos de Corumbá só será pago amanhã. Conforme a assessoria de imprensa, como os servidores não têm acesso ao Paço Municipal, os salários não foram liberados.

A assessoria também informou que o prefeito de Corumbá, Ruiter Cunha (PT), dará uma entrevista coletiva, provavelmente amanhã de manhã.




Sempre comento com amigos e comentei faz 3 semanas quando fomos entre 4 colegas verificar a cidade para um evento: Corumba tah feia. Tenho vergonha de ver minha terra natal largada e abandonada da forma que esta. Pela idadd dela, pela tradicao das festas, do carnaval, do povo alegre e descolado sempre foi e estah entregue nas maos de safados e ladroes. Corumbaenses, saibam votar. Cadeia neles.(NY)
 
Gervasio Ramos em 01/06/2012 10:02:49
Isso precisava acontecer em Bonito...
O pessoal lá tá muito manso, apesar de terem tomado um susto recente!!!!
As coisas lá estão mal há algum tempo...
 
ANTONIO CARLOS ZACARIAS em 01/06/2012 09:05:44
Ainda bem que Campo Grande é uma Santidade completa nesses termos investigados por aí. Aqui nada é feito de maneira irregular, nunca vi nada mais honesto.
 
luiz alves em 01/06/2012 07:56:56
Parabéns a CGU, a PF, precisa a população estar atenta aos fatos, quem rouba dinheiro público é bandido e tem que ficar preso.
Não importa partido, ética e moral não nasceram de partidos. A CGU precisa dar umas olhas em algumas ONGs, escolas e outras coisas mais.
 
ciro ferreira em 31/05/2012 11:40:29
puxa bons tempos aqueles quando o carlos porto(carlinho porto) era presidente do
grupo TEZ,até cheguei a participar quando a sede era na candido mariano proximo a ernesto geisel..só
que com o passar do tempo notei que estava havendo politicagem no meio , cai
foram pois aonde tem politico tem porcaria...a politica so atrapalhou.

gentes vamos criar grupo TEZ de novo sem politicagem.
 
antonio alves avelino em 31/05/2012 10:01:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions