A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

20/05/2014 23:21

Justiça bloqueia R$ 242,5 mil em bens de ex-prefeito de MS

Alan Diógenes

A Justiça acatou o pedido do MPF (Ministério Público Federal) em Mato Grosso do Sul e determinou o bloqueio de R$ 242,5 mil em bens móveis e imóveis do ex-prefeito de Bodoquena, Umberto Machado Aripe. O ex-prefeito foi denunciado pelo MPF por improbidade administrativa, pela má aplicação de recursos do Ministério do Turismo que deveriam ter sido destinados ao turismo local.

Veja Mais
Juízes vão à Justiça para obrigar Bernal a reafirmar calúnias feitas em vídeo
Justiça dá ultimato para 153 famílias saírem de área invadida na Capital

Em 2007, o ex-prefeito firmou com o Ministério do Turismo o convênio nº104/2007, que iria incentivar atividades turísticas em Bodoquena, que fica próxima a Bonito, cidade que atrai um grande número de visitantes. O investimento do governo federal foi de R$ 242,5 mil. A prefeitura teria de entrar com contrapartida de R$ 7m5 mil.

O recurso foi transferido para conta corrente do município, criada unicamente para este convênio e depois retirado e utilizado para outros fins. Sempre que questionado, o ex-prefeito informava que o projeto não havia começado, mas que o dinheiro permanecia depositado.

O Governo do Estado era responsável por fiscalizar a aplicação dos recursos e etapas de pré-execução do projeto. Nas prestações de conta ao estado, a prefeitura sempre afirmava que o valor permanecia depositado, mas sendo corrigido monetariamente.

A investigação revelou que o dinheiro do convênio foi retirado da conta em novembro de 2007. A prefeitura nem chegou a depositar a contrapartida. De acordo com o relatório da investigação, mesmo após o saque, o ex-prefeito encaminhava relatórios mensais, constando que não foram efetuadas despesas e pagamentos no período respectivo, como se os recursos estivessem na conta específica do convênio devidamente aplicados. Nenhuma ação do projeto foi executada.

Juízes vão à Justiça para obrigar Bernal a reafirmar calúnias feitas em vídeo
A Amamsul (Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul) apresentou no Fórum de Campo Grande, nesta terça-feira (20), uma interpelação criminal q...
Justiça suspende cassação de médico punido pelo CRM há mais de 10 anos
Liminar da Justiça Federal suspendeu a cassação do registro profissional do médico ortopedista Pedro Marilto Vidal de Paula. A cassação, pena máxima ...
Psicólogo é condenado pela Justiça por chantagear familiares de presos
O psicólogo que chantageava familiares de detentos para a emissão de laudo pericial favorável aos presos foi condenado por improbidade administrativa...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions