A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

01/12/2011 12:44

Justiça decretou prisão de suspeito de ataque a índios por 5 dias

Marta Ferreira
Acampamento recebeu mais pessoas após ataque em que liderança desapareceu. (Foto: João Garrigó)Acampamento recebeu mais pessoas após ataque em que liderança desapareceu. (Foto: João Garrigó)

Estão com a prisão temporária decretada por 5 dias o três suspeitos presos por envolvimento no ataque a um acampamento indígena em Aral Moreira, ocorrido no dia 18 de novembro, quando o índio Nísio Gomes, de 59 anos, desapareceu. O mandado foi cumprido na terça-feira.

Veja Mais
Trabalhador de 61 anos morre eletrocutado em sacada de prédio em construção
Aeroporto fecha e passageiros vão enfrentar 12 horas para chegar em SP

A Polícia Federal não informa a identidade dos presos, nem detalha o tipo de suspeita que recai sobre eles. Ontem, chegaram a surgir boatos de que além das prisões, haviam sido apreendidas camionetes usadas para o ataque aos índios, mas essa informação foi negada.

O prazo das prisões vence no sábado e a PF não informou se vai ser pedida a prorrogaão.

A investigação- Apesar do relato de índios de que Nisio foi executado pelos pistoleiros que invadiram o acampam ento, a PF o considera desaparecido, embora não descarte a hipótese de homicídio

De acordo com a corporação, diligências estão sendo feitas para identificar e prender outros suspeitos e, principalmente, os mandantes do ataque. No acampamento, foram encontradas balas de borracha, que normalmente são usadas para contenção de tumultos.

Os laudos do local e da perífica científica, que inclui exames de DNA no sangue encontrado no local, ainda não foram concluídos. O primeiro está a cargo da Polícia Civil e o segundo da Polícia Federal em Brasília.

Dois índios que estavam no local com Nisio Gomes estão sob proteção policial. Segundo a PF, só eles presenciaram o ataque. Isso destoa do relato inicial, de que vários índios presenciaram pistoleiros entrando no acampamento.

Após o ataque, a quantidade de índios no local aumentou e o acampamento passou a ter proteção da Força Nacional de Segurança. A área, pertencente à fazenda Nova Aurora, está em fase de estudo para ser demarcada como terra indígena.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions