A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

09/03/2015 12:19

Lagoa transborda com chuvarada, alaga casas e deixas ruas iguas a rios

Priscilla Peres
Residências próximas do Centro ficaram alagadas. (Foto: Germino Roz/Nova News)Residências próximas do Centro ficaram alagadas. (Foto: Germino Roz/Nova News)
Avenida principal da cidade ficou parecida com um rio. (Foto: Germino Roz/Nova News)Avenida principal da cidade ficou parecida com um rio. (Foto: Germino Roz/Nova News)

A chuva que caiu em Batayporã - distante 311 km da Capital, durante duas horas foi suficiente para fazer a Lagoa do Sapo transbordar. A água invadiu ruas, avenidas e residências da área central da cidade, durante a maior cheia do ano.

Veja Mais
Chuva forte causa alagamentos e panes em semáforos na Capital
Erosão em prolongamento de avenida aumenta após chuvas do fim de semana

Segundo informações do site Nova News, o encontro entre a avenida Antônia Espinosa Mustafá e a avenida Brasil ficou totalmente alagado, parecendo um rio. A água que transbordou do lago também chegou a ruas paralelas.

A prefeitura carros veículos e máquinas atravessados em ruas alagadas, para evitar o tráfego de veículos, que poderia causar ainda mais estragos nas residências próximas. Um dos moradores da região, Antônio disse que há 50 anos mora Batayporã e que a primeira cheia que aconteceu no município foi em 1975. Orientados pelo prefeito Jindrich Trachta, na época, a população foi orientada a cavar uma valeta que ia para a região do cemitério, para que a água pudesse escoar.

O problema é que 40 anos depois, o problema persiste. "Eu acho que vou morrer e não verei esse problema solucionado. Minha mãe tem 81 anos, mora aqui perto da lagoa e a casa dela está tomada pela água. Isso é um descaso, um verdadeiro crime contra a população”, desabafou.

Outras duas moradoras que tiveram as casas invadida pela água lamentaram os móveis e também os mantimentos que se perderam. “Estante, sofá, comida, geladeira, freezer, cama, não deu tempo de suspender nada. A água invadiu e acabou com tudo. E agora? Quem vai arcar com esses prejuízos? Acredito que mais uma vez seremos nós”, disse a moradora.

Segundo pluviômetros instalados na região central da cidade, em pouco mais de 2h, caíram 180 milímetros de chuva.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions