A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

10/03/2015 21:03

Lançada pedra fundamental do Centro de Atendimento às mulheres em Ponta Porã

Daniel Machado


Até 2016, duas unidades do Centro de Atendimento às Mulheres em Regiões de Fronteiras Secas devem estar funcionando em Mato Grosso do Sul. A unidade de Ponta Porã teve a pedra fundamental lançada nesta terça-feira (10), com a presença da vice-governadora e secretária de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), Rose Modesto; a primeira-dama, Fátima Azambuja, e a gestora estadual de Políticas Públicas para as Mulheres, Luciana Azambuja.

Veja Mais
Esposa é presa ao tentar entregar pão recheado com maconha para detento
Carreta transportando combustível bate em carro e uma pessoa morre

O lançamento aconteceu no Centro de Convenções da cidade e também contou com a presença do prefeito local, Ludimar Novaes. “É de extrema importância olhar com atenção para as fronteiras e ofertar serviços de qualidade para as mulheres residentes destas áreas”, destacou a gestora Luciana Azambuja.

A exemplo do que ocorre na Casa da Mulher Brasileira, haverá investimentos das três esferas para a construção do centro: municipal, estadual e federal. Os recursos serão aplicados para melhorar o atendimento à migrantes em situação de violência e o enfrentamento do tráfico de mulheres, orientar a regularização de documentação, prestar atendimento psicossocial, disponibilizar assistência jurídica e fazer o encaminhamento à rede de serviços especializados.

A vice-governadora e secretária explica que a política de enfrentamento à violência contra a mulher é tema que deve ser tratado como prioridade no interior. “Não só a Capital, mas também o interior terá o nosso olhar atento às mulheres. Este Centro de Referência será um grande passo nesta luta para as cidades de fronteira’, resumiu.

De acordo com a Secretaria de Políticas para as Mulheres, do Governo Federal, sete centros de atendimento às mulheres em situação de violência nas fronteiras do Brasil com a Bolívia, Guiana Inglesa, Paraguai e Uruguai entrarão em funcionamento até no máximo dois anos.

Além das unidades em Mato Grosso do Sul, ainda serão instalados centros de fronteira seca em Bonfim (RR), Brasiléia (AC), Jaguarão (RS), Santana do Livramento (RS) e Tabatinga (AM). Os três centros já existentes, localizados em Foz do Iguaçu (PR), Oiapoque (AP) e Pacaraima (RR), receberão recursos para fortalecimento e ampliação dos serviços.

 

Com informações da Assessoria e Vice-Governadoria e Sedhast

 

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions